fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
17.06.22

Linha sucessória

A eleição dos subprocuradores Elizeta Maria de Paiva Ramos e Alcides Martins para o Conselho Superior do Ministério Público Federal foi uma vitória pessoal de Augusto Aras. Martins, inclusive, é apontado dentro do MPF como o candidato do próprio Aras para sucedê-lo na PGR.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.06.22

Hora de fechar a porteira

O Ministério Público Federal está abrindo um flanco de batalha que atinge diretamente a Petrobras e demais petroleiras em operação no Brasil. A Câmara de Coordenação e Revisão do MPF enviou parecer ao PGR Augusto Aras atestando a inconstitucionalidade da decisão do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente) de suspender os limites para a emissão de poluentes em plataformas de petróleo e gás. Aprovada no ano passado, a medida foi uma das últimas “boiadas” da gestão do ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.05.22

Vitória de Aras

Os procuradores federais estão reivindicando um reajuste salarial indireto, leia-se um aumento dos reembolsos com despesas médicas. A princípio, pode parecer uma agenda comezinha. Mas provavelmente será mais uma demonstração do prestígio de Augusto Aras junto ao Palácio do Planalto. O PGR deverá levar mais essa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.05.22

Dobradinha

Augusto Aras ganhou mais um aliado dentro do Palácio do Planalto: o PGR está cada vez mais próximo do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.22

O xadrez de Aras

Augusto Aras está fazendo mil e uma costuras políticas no Ministério Público. Quer emplacar três aliados nas cadeiras de Nicolao Dino, Mario Bonsaglia e José Bonifácio Andrada no Conselho Superior do MPF. O mandato do trio – todos oponentes de Aras – se encerra em julho. Se as articulações derem certo, o procurador-geral da República vira o jogo e passa a ter maioria no colegiado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

No TJ-RJ circula a informação de que, nos últimos dias, emissários de Flavio Bolsonaro têm feito um corpo a corpo junto a desembargadores da Corte. O objetivo seria angariar votos para o advogado Vitor Marcelo Aranha Rodrigues, candidato ao cargo de desembargador pelo quinto constitucional da OAB. A votação, marcada para o próximo dia 11 de abril, será secreta, conforme o RR antecipou com exclusividade em 22 de março.

A candidata de Augusto Aras

A subprocuradora Lindôra Araújo é o nome do momento no Ministério Público Federal. Além de indicá-la para o cargo de vice procuradora da República, Augusto Aras trabalha nos bastidores para emplacar a candidatura de Lindôra ao Conselho Superior do Ministério Público (CSMPF). Trata-se de um movimento estratégico para o PGR, que corre o risco de perder influência dentro do colegiado com o fim dos mandatos de Mario Bonsiglia e Nívio de Freitas. Ambos costumam votar alinhados a Aras. Em 2020, não custa lembrar, Lindôra chegou a se candidatar ao CSMPF, mas saiu da disputa após uma suposta tentativa de interferência na força-tarefa da Lava Jato.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.03.22

Operação on demand?

Ontem, o que se dizia nos corredores do Congresso é que a decisão do PGR, Augusto Aras, de abrir um inquérito para investigar o ministro da Educação, Milton Ribeiro, parece ter sido feito sob encomenda para o presidente Jair Bolsonaro. Primeiro por descolar de Bolsonaro e grudar em Ribeiro as suspeições de favorecimento a líderes evangélicos na liberação de verbas da Pasta. Além disso, o inquérito enfraquece ainda mais o ministro, facilitando a sua demissão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.03.22

O “Aras do MPT”

Guardadas as devidas proporções, o procurador-geral do Trabalho, José de Lima Ramos Pereira, está se tornando uma espécie de Augusto Aras, ao menos no que diz respeito à insatisfação de seus comandados. Dentro do Ministério Público do Trabalho (MPT), cresce o entendimento de que Lima tem adotado uma postura pouco agressiva em relação às novas mudanças na CLT e à precarização das relações trabalhistas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.02.22

Frente fria

Em conversas reservadas, Flavio Bolsonaro anda detonando Augusto Aras. No núcleo duro bolsonarista, a sensação é de que o PGR já foi mais leal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.01.22

Capital e trabalho voltam ao ringue

Segundo o RR apurou, a Fenajufe (Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário e do Ministério Público da União) estuda entrar no STF para exigir o reajuste salarial da categoria caso as tratativas com o governo não avancem. Do lado do MP, o PGR Augusto Aras já foi convocado para buscar um diálogo com os procuradores. Missão árdua. A insatisfação entre os servidores do órgão é grande. Estudos da Fenajufe mostram que a defasagem salarial da categoria desde 2019 já ultrapassa os 15% em relação à inflação do período.

A Ford vai ser alvo de uma enxurrada de ações trabalhistas. Segundo uma fonte do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari, ex-funcionários de empresas terceirizadas estão se mobilizando para entrar na Justiça contra a montadora. O entendimento do sindicato é que eles têm direito a indenização por quebra de contrato, assim como os empregados da antiga fábrica de Camaçari. Ao todo, são 1,5 mil trabalhadores terceirizados.

Os dirigentes da Força Sindical e da CUT articulam uma audiência com Josué Gomes da Silva. Uma vez confirmado, será o primeiro encontro de Josué com representantes dos trabalhadores como novo presidente da Fiesp. Ressalte-se que o relacionamento entre
as centrais e seu antecessor, Paulo Skaf, se deteriorou depois que o então no1 da Fiesp apoiou a reforma trabalhista e, sobretudo, o fim do imposto sindical. E foi de vez para o vinagre com a proximidade política entre Skaf e o presidente Jair Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.