fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
10.01.22

Sinal vermelho

O procurador-geral da República Augusto Aras recebeu uma sinalização do Ministério da Economia de que não há espaço no orçamento para um reajuste salarial dos procuradores federais. Ou seja: Aras que se vire para tourear a insatisfação dos seus. Que não é pequena. No fim de 2021, a Associação Nacional dos Membros do MP enviou documento ao PGR pedindo aumento para a categoria.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.12.21

Prêmio de consolação

A vaga no STF não veio. Mas Jair Bolsonaro cogita indicar o PGR Augusto Aras para o STJ.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.12.21

“Procrastinador” Geral da República

Entre os ministros do STF, a interpretação é que o documento enviado pelo PGR Augusto Aras, com 10 pedidos de providências a serem adotados a partir do relatório da CPI da Covid, tem um objetivo claro: postergar ao máximo a abertura de qualquer inquérito com base nas conclusões da Comissão Parlamentar de Inquérito.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.10.21

As seguidas mortes da Lava Jato

No MPF, Augusto Aras é apontado como o mentor do processo aberto pelo Conselho Nacional do Ministério Público contra 11 procuradores que integravam a força-tarefa da Lava Jato no Rio. Eles são acusados de terem divulgado informações sigilosas da operação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Ao que parece, o próprio Jair Bolsonaro já está fritando André Mendonça. A recente declaração de Augusto Aras de que “tem tido conversas” em torno da sua possível indicação ao STF foi combinada quase que palavra por palavra com Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.10.21

Um anti-Aras no caminho dos Bolsonaro

Ainda que por vias indiretas, o inquérito que vai apurar a suposta atuação de Michelle Bolsonaro para favorecer empresas de amigos junto à Caixa Econômica caiu em “mãos inimigas”. O procurador da República Anselmo Henrique Cordeiro, responsável pelas investigações, tem um histórico de oposição ao PGR Augusto Aras, próximo à família Bolsonaro. Em setembro do ano passado, ele deixou a força-tarefa da Greenfield após o desmonte da Operação conduzido pelo próprio Aras. Na ocasião, Cordeiro publicou uma carta aberta e fez duras críticas à falta de estrutura para as investigações.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.09.21

Vitória de Aras

Por trás da coxia do Ministério Público, Augusto Aras teve participação determinante na nomeação da subprocuradora Maria Caetana Cintra Santos para a vice-presidência do Conselho Superior do MPF. Maria Caetana é tida como de perfil “independente”. De oposicionistas a Aras, já bastam cinco dos atuais 11 componentes do colegiado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.09.21

Procurador dos Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro estaria recorrendo aos conselhos de Augusto Aras sobre as investigações contra Flavio Bolsonaro. Procurados, a Presidência e o PGR não se pronunciaram.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.09.21

Seis por meia dúzia

A boca miúda, o próprio líder do governo no Senado, Fernando Bezerra, já está testando entre seus colegas o nome de Augusto Aras para o STF. Ninguém leva muita fé na aprovação de André Mendonça.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.09.21

Um “inimigo” no Ministério Público do Trabalho

Augusto Aras tem sido criticado no próprio governo pela recente escolha de José de Lima Pereira como Procurador-Geral do Ministério Público do Trabalho (MPT). Aos olhos do Palácio do Planalto, Pereira já mostrou, logo na partida, ser o nome “errado” na hora “errada”. Na semana passada, o novo chefe do MPT teria feito articulações junto a senadores pela derrubada da Medida Provisória 1045, pauta de interesse do governo. Após a votação, o Procurador-Geral do Trabalho não escondeu de que lado jogou: elogiou publicamente o Senado por rejeitar a minirreforma trabalhista, conforme release enviado ao RR pela Procuradoria-Geral do Trabalho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.