fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
18.11.19

Plantão médico

O PGR Augusto Aras está fora de combate. Contraiu uma virose no Paraguai, onde esteve para participar de um encontro de procuradores íberoamericanos. A enfermidade tem lhe custado o cancelamento de compromissos importantes, a começar por um almoço que teria na semana passada com o Comandante do Exército, general Edson Pujol.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.11.19

SOS Lava Jato na Pauliceia

Há uma força-tarefa dentro da força-tarefa para blindar a Lava Jato em São Paulo. Os membros do MPF à frente da Operação no estado fazem pressão sobre o PGR Augusto Aras para que a colega Anamara Osório Silva siga vinculada às investigações. Coordenadora da Lava Jato em São Paulo até outubro e especialista em crimes financeiros, Anamara foi promovida a procuradora regional da República. Mesmo com o upgrade, ela própria quer manter um pé na Lava Jato, o que é permitido pelo regimento do PF. No entanto, sua permanência na equipe depende de uma autorização especial de Aras. Os membros do Ministério Público temem que a saída de Anamara seja o início de processo de esvaziamento da Operação em São Paulo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

08.11.19

Operação casada

O pedido de Augusto Aras de rescisão da delação premiada dos irmãos Batista deve dar novo gás ao processo movido no Conselho Nacional do Ministério Público contra o ex-PGR Rodrigo Janot e o ex-procurador Marcelo Miller. O subprocurador Moacir Guimarães, autor da reclamação, acusa Janot de ter ciência e acobertar os ilícitos de Miller, que acumulou o cargo no Ministério Público Federal com a função de “consultor” jurídico dos donos da JBS.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

18.10.19

Augusto Aras deve “absolver” Dallagnol

Augusto Aras já tem data marcada para sua primeira demonstração formal de apoio à Lava Jato. Segundo relato de um de seus principais colaboradores na PGR, Aras já confidenciou sua posição favorável a Deltan Dallagnol em dois processos que serão julgados pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) na próxima terça-feira, dia 22. Uma das ações, movida pela defesa de Lula, pede punição a Dallagnol por conta do famoso Power Point que aponta o ex-presidente como o centro de uma “organização criminosa”. Outro processo é a reclamação disciplinar encaminhada pelo ministro Dias Toffoli. Ele pede uma punição disciplinar a Dallagnol pela declaração de que o STF “passa a mensagem de leniência a favor da corrupção em algumas decisões”. A votação está 4×2 a favor do procurador. Aras deverá garantir o quinto voto. Ainda vão ficar faltando mais três para a absolvição do chefe da força-tarefa da Lava Jato.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.19

O blockchain de Augusto Aras na PGR

Augusto Aras quer tornar o trabalho de Glenn Greenwald e congêneres mais difícil. O novo Procurador-Geral da República pretende implantar regras ainda mais rigorosas para restringir o fluxo de informações dentro do Ministério Público e também a comunicação dos procuradores com o “mundo exterior”. Segundo uma fonte da PGR, uma das medidas será a disponibilização de celulares criptografados para integrantes do MPF, notadamente aqueles envolvidos em grandes operações de maior apelo midiático. O novo PGR deverá também proibir o envio de qualquer documento oficial e mesmo troca de mensagens sobre operações em curso por meio de aplicativos como WhatsApp e Telegram – este último o meio usado para as conversas entre Sergio Moro, Deltan Dallagnol e colegas da força-tarefa da Lava Jato devassadas pelo hacker e posteriormente entregues ao The Intercept. De acordo com a mesma fonte, Aras pretende ainda vetar qualquer manifestação sobre investigações nas redes sociais. A medida parece ter endereço certo: o próprio Dallagnol, o trending topics do Ministério Público, com seus mais de um milhão de seguidores no Twitter. Procurado, o MPF informou que, “desde maio, quando foram identificadas tentativas de ataques, a Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação tomou diversas medidas de proteção e investigação”. Segundo o órgão, “essas ações continuam em andamento”. Consultado especificamente sobre a possibilidade de uso de aparelhos criptografados e de veto ao uso de redes sociais e aplicativos, o MPF não se pronunciou.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.09.19

Adviser

Na preparação para a sua sabatina de ontem, na Comissão de Constituição e Justiça, o novo PGR Augusto Aras pôde contar com valiosas dicas e recomendações do próprio Advogado Geral do Senado, Fernando Cesar Cunha, seu antigo sócio em um escritório de advocacia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.09.19

Mão contrária

Ao menos na liturgia, Augusto Aras fez questão de se distinguir da sua antecessora logo na partida. Na semana passada, antes mesmo da sabatina no Senado, enviou uma carta formal ao presidente Jair Bolsonaro agradecendo pela indicação para a Procuradoria Geral da República. Um rito bem diferente do adotado por Raquel Dodge, que, escolhida para substituir Rodrigo Janot, teve um célebre encontro com o presidente Michel Temer no Palácio do Jaburu, tarde da noite e fora da agenda oficial.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.09.19

Corpo a corpo

Na última segunda-feira, Augusto Aras cumpriu intensa agenda no Senado. Reuniuse individualmente com oito senadores. A conversa mais longa foi com José Regufe. Poucas horas após o corpo a corpo, Eduardo Braga soltou relatório atestando que Aras cumpre os requisitos para assumir a PGR.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.09.19

O day after de Raquel Dodge

Após transferir o cargo para o interino Alcides Martins, vice-presidente do Conselho Superior do MPF, Raquel Dodge vai tirar férias e sair de cena por cerca de três semanas. Depois, pretende voltar ao grupo de subprocuradores que dão expediente no STF. Isso se Augusto Aras, o futuro PGR, não tiver em mente funções mais discretas para a sua antecessora.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.