fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
27.04.21

O “marciano” a caminho do STF

André Mendonça precipitou as gestões junto ao STF para reduzir a resistência ao seu nome na Corte. A pressa foi motivada por uma declaração atribuída a Gilmar Mendes que chegou ao conhecimento de Mendonça. A portas fechadas, o ministro teria se referido à eventual nomeação do AGU como mais um “enclave de Bolsonaro” dentro do STF. Ressalte-se que, recentemente, Gilmar já externalizou sua antipatia ao advogado geral da União ao ironizar sua defesa pela abertura de igrejas e templos em meio à pandemia. Na ocasião, disse que Mendonça parece ter vindo de Marte. O AGU vai ter se desdobrar para aterrissar no Supremo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.04.21

Profissão de fé

O ministro da AGU e pastor presbiteriano, André Mendonça, tem mantido intensa interlocução com os líderes de outras igrejas evangélicas. Faz parte da campanha pela vaga no Supremo Tribunal Federal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.04.21

Apoio de fé

A ministra Damares Alves tem feito campanha dentro do governo pela indicação do chefe da AGU, André Mendonça – evangélico como ela, para a vaga de Marco Aurelio Mello no Supremo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.04.21

Antessala

O ex-ministro da Justiça, André Mendonça, é só otimismo. Acredita piamente que seu retorno ao cargo de advogado geral da União é um atalho para o STF.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.02.21

Ministro particular

O ministro da Justiça, André Mendonça, subiu alguns degraus na disputa por uma vaga no STF. De acordo com informações filtradas do Palácio do Planalto, Mendonça tem sido um fiel conselheiro de Jair Bolsonaro nas acusações contra o “01”, Flavio Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

03.09.20

Legado Moro

O ministro da Justiça, André Mendonça, vai anunciar nos próximos dias a segunda fase do “Em frente, Brasil”, programa de combate a crimes violentos idealizado pelo seu antecessor, Sergio Moro. Por ora, no entanto, o projeto não passa de uma miniatura. Na primeira etapa, foi implementado só em cinco cidades. Agora serão outras dez.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.07.20

André Mendonça tira os presídios de Moro da gaveta

O ministro da Justiça e da Segurança Pública, André Mendonça, pretende retomar o programa de construção de presídios federais, que acabou relegado a segundo plano na gestão de Sergio Moro. Segundo o RR apurou, a Pasta estuda a instalação de três penitenciárias de segurança máxima na Região Sul, cada uma com capacidade média para cerca de mil detentos. A ideia seria montar um modelo híbrido: a construção e a gestão do presídio ficariam a cargo de uma PPP; já a segurança seria de responsabilidade do próprio Estado, por meio de guardas penitenciários.

Tudo muito bom, tudo muito bem, mas a proposta enfrentaria resistências dentro do próprio Ministério, mais precisamente do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCC). De acordo com a mesma fonte, parte do colegiado estaria questionando esse sistema de administração compartilhada. De fato, o benchmarking no Brasil não é dos mais inspiradores. Modelo similar foi adotado no Complexo Penitenciário Anisio Jobim, em Manaus, no qual morreram 75 presos em duas grandes rebeliões, uma em 2017 e outra em 2019.

Outro ponto contestado é a falta de critério geográfico de Mendonça. O projeto prevê uma concentração de recursos na Região Sul e nada para o Sudeste, onde há a maior escassez de vagas carcerárias no país. Erguer os três presídios não chega a ser um trabalho de Hércules do ponto de vista fiscal: na média, o Ministério da Justiça estima um custo em torno de R$ 50 mil por preso, o que daria algo como R$ 150 milhões no total. Mas trata-se de uma gotícula perto do que o governo teria de investir para reduzir o déficit carcerário no país. Para isso, teriam de ser abertas mais de 250 mil vagas, ao custo total de R$ 12,5 bilhões.

O Governo do Rio Grande do Sul fará uma nova tentativa para retomar as obras de construção de um presídio em Guaíba, com 672 vagas. O Palácio do Piratini busca uma construtora disposta a investir os R$ 18 milhões que faltam para a conclusão do projeto, uma novela carcerária que se arrasta desde de 2010. O governo não pretende tirar dinheiro do caixa: quer pagar a obra com a cessão de imóveis.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.07.20

Vara de Família

Entre os ex-colegas de AGU, o ministro da Justiça, André Mendonça, já ganhou o cruel apelido de “AGF”: “Advogado Geral da Família”. Pano rápido.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.07.20

Só falta o dinheiro

Com André Mendonça na Justiça, a relação entre o governo e os secretários de segurança melhorou muito. Agora, os estados esperam que essa lua de mel se converta em verbas. Por ora, nada.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.06.20

“Acúmulo” de funções

Segundo a rádio-corredor da AGU, André Mendonça assumiu o Ministério da Justiça, mas manteve um pé no antigo cargo de advogado-geral da União. Seu sucessor na AGU, José Levi, não dá um passo sem consultar o ex-chefe. Ex?

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.