Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
03.10.19

Mata rica

Em meio às cinzas da Amazônia, o governo federal vai lançar nos próximos dias o edital de concessão da unidade florestal de Três Barras (SC). Será a primeira licitação de floresta na Região Sul. São 4,4 mil hectares de florestas de araucárias e pinus, com um valor potencial estimado em R$ 100 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.09.19

Sob a fuligem amazônica

Enquanto a Amazônia arde, o secretário especial de Assuntos Fundiários da Agricultura, Luiz Antonio Nabhan Garcia, parece disposto a colocar lenha na fogueira. Ex-presidente da UDR e conhecido por suas posições controversas, articula uma agenda de viagens a cidades da Região Amazônica para tratar de temas como desmatamento, grilagem de terras e violência no campo.

Hoje, desembarcará em Porto Velho (RO) para encontro com agricultores locais. Será recepcionado por manifestações de ONGs ambientais, indígenas e quilombolas. Entre outras ações polêmicas, Garcia foi responsável por derrubar o general Franklimberg de Freitas do comando da Funai, sob protestos de indigenistas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.09.19

Será que Macron encara o PCC?

O crime organizado está devastando o Acre. Literalmente. Investigações do Ministério Público local apontam o Bonde dos 13, uma espécie de “franquia” do PCC na Região Norte, e o Comando Vermelho como responsáveis por mais da metade das áreas desmatadas no estado desde janeiro – algo em torno de 37 mil hectares. Trata-se do resultado de picadas abertas por facções criminosas na floresta amazônica para facilitar o transporte de armas e drogas trazidas da Bolívia e do Peru. O “departamento de engenharia” do crime organizado é especialista em pistas de pouso clandestinas e estradas. Além dos ganhos com o tráfico e o contrabando de armamentos, o Bonde dos 13 e o CV ainda levam um troco com a venda de madeira e a grilagem de terras.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.09.19

Os “Neros da Amazônia”

Segundo investigações conduzidas pela Polícia Civil do Pará, entre os suspeitos pelo boom de queimadas no estado estaria uma dupla notória da região: os irmãos Marcelo Miranda e José Edmar Brito Miranda Junior. Ambos são sócios da Fazenda Ouro Verde, na região de São Félix do Xingu, onde o INPE já mapeou mais de 2,5 mil focos de incêndio. Os Miranda têm uma biografia pontuada enroscos com a Justiça. Marcelo carrega em sua biografia o feito de ser o único político brasileiro a ter sido judicialmente afastado do mesmo cargo, o governo de Tocantins, por duas vezes. Ele e José Edmar são réus no âmbito da Operação Reis do Gado, acusados de lavagem de dinheiro com a compra de terras e gado na região.

O Ministério Público do Acre vai colocar mais lenha na fogueira amazônica. Estudo técnico encomendado pelo MP constatou que os valores médios de fumaça no ar no estado entre os dias 6 e 16 de agosto alcançaram um nível cinco vezes superior ao limite estabelecido pela OMS. Os dados servirão de munição para ações que o MP pretende mover contra o Ibama e órgãos de controle ambiental do estado, acusados de não cumprir com o trabalho de fiscalização. O estudo técnico foi coordenado pelo cientista Foster Brown, da Universidade Federal do Acre, renomado pesquisador do bioma amazônico. Brown utilizou equipamentos com sensores, conhecidos como Purpleair, capazes de realizar monitoramentos de alta densidade em ambientes extremos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

03.09.19

“Teleton da Amazônia”

Ideia que circula entre artistas brasileiros, a exemplo de Patricia Pillar, José de Abreu, Gregório Duvivier, Marcos Palmeira, entre outros: o lançamento de um crowdfunding com o objetivo de arrecadar recursos para ONGs que atuam contra o desmatamento na Região Amazônica. A vaquinha seria abrigada em uma plataforma digital e impulsionada pelo engajamento e pela fama de seus próprios idealizadores. Haveria a disseminação de vídeos nas redes sociais no estilo “corrente”: uma celebridade envia uma mensagem pública para outra, “desafiando-a” a fazer uma doação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.