fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
08.11.19

Video tape

Apesar das diferenças de cunho ideológico, o governador Wilson Witzel (PSC) e o presidente da Alerj, Andre Ceciliano (PT), têm feito aproximações sucessivas. No quesito conquista de poder, Ceciliano vem se mostrando um bom herdeiro do antecessor, Jorge Picciani, com indicações de nomes para a direção de estatais e cargos de segundo escalão no secretariado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.10.19

A lenta escalada dos Picciani

O clã Picciani vai buscar um recomeço nas urnas. Leonardo Picciani, filho do ex-presidente da Alerj, Jorge Picciani, deverá se candidatar à Câmara dos Vereadores no ano que vem. Para quem já foi ministro de estado no governo Temer e deputado federal com razoável grau de influência na Câmara, trata-se de um doloroso reinício pelo degrau mais baixo do Legislativo. Ainda assim, é preferível, a permanecer sem mandato e, consequentemente, sem a marquise do foro privilegiado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.09.19

A bola está quicando na frente de Paes

A saída do PSL da base de apoio de Wilson Witzel na Alerj já tem um grande vencedor. O valor de Eduardo Paes subiu consideravelmente nos últimos dias, uma vez que o DEM, seu partido, reúne a segunda maior bancada da Assembleia Legislativa. O preço da lealdade dos democratas na Casa será o apoio para valer de Witzel à candidatura de Paes a prefeito do Rio em 2020.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.09.19

Um novo Picciani?

O presidente da Alerj, André Ceciliano, tem conquistado crescente influência no governo de Wilson Witzel, materializada com indicações para cargos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.08.19

O menor dos males de Ceciliano

Uma denúncia a menos sobre os ombros de André Ceciliano (PT), sucessor de Jorge Picciani na presidência da Alerj. O Órgão Especial do Tribunal de Justiça absolveu o deputado, por unanimidade, da acusação de ter deliberadamente anexado documentos falsos à Lei de Diretrizes Orçamentárias de Paracambi na época em que era prefeito do município. Trata-se de um problema relativamente pequeno se comparado a outros enfrentados por Ceciliano. O parlamentar está na lista de movimentações suspeitas do antigo Coaf, ao lado, entre outros, de Flavio Bolsonaro. Três assessores do deputado teriam movimentado cerca de R$ 45 milhões entre 2011 e 2017.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.05.19

Cadeia Velha

A Justiça do Rio de Janeiro negou recurso à queixa-crime do ex-presidente da Alerj, Paulo Melo contra Marcelo Freixo. Preso na Operação Cadeia Velho, Melo acusava o parlamentar do PSOL de ter cometido crime de calúnia em entrevista à TV Globo. O curioso é que, em suas declarações, Freixo sequer citou o nome de Melo, mas sempre o do MDB. Pelo jeito, a carapuça lhe vestiu bem.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.04.19

Alerj treme

Ontem, os corredores da Alerj foram tomados pela informação de que o ex-presidente da Casa Jorge Picciani está prestes a fechar um acordo de delação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.04.18

Em nome do filho

Mesmo em prisão domiciliar, Jorge Picciani já se dedica à campanha do filho Rafael Picciani, também deputado estadual. As circunstâncias tornaram a reeleição de Rafael crucial, seja como garantia de que haverá ao menos um Picciani na Alerj a partir de 2019, seja pela manutenção do foro privilegiado do rebento.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.02.18

Atirando para todos os lados

Um conhecido deputado da Alerj está ameaçando disparar dossiês contra tudo e contra todos diante do iminente risco de prisão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.12.17

Próximos capítulos

A delação de Celso Miranda, que atuava como uma espécie de CFO do esquema de propinas de Sérgio Cabral, promete levar de arrasto a Alerj. Miranda era um importante facilitador das relações entre Cabral e deputados da Casa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.