Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
01.03.19

De prisioneira à vítima

Os advogados de Adriana Ancelmo cogitam pedir à Justiça proteção policial para a ex-primeira dama do Rio. O argumento é que o tiroteio deflagrado por Sergio Cabral, com graves acusações a empresários e diversos integrantes de seu governo, traz risco à segurança de Adriana. Em dezembro de 2018, o juiz Marcelo Bretas revogou a prisão domiciliar da Sra. Cabral, permitindo que ela deixe seu apartamento das 6h às 20h.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.12.17

Gritos do silêncio

O PT está desde já quebrando a cabeça em busca de saídas para que Lula consiga participar do debate político caso seja condenado a prisão domiciliar e impedido judicialmente de fazer qualquer manifestação pública. No partido, houve quem citasse o caso da ex-primeira-dama do Rio Adriana Ancelmo, que, mesmo sem ser julgada, foi proibida pela Justiça de ter acesso a telefone e internet em sua residência. Assim como foi lembrado que, da cadeia, Eduardo Cunha publicou dois artigos na Folha de S. Paulo. Em meio às incertezas, os mais otimistas acreditam que, mesmo impossibilitado de se pronunciar, o valor simbólico de Lula terá peso sobre a eleição. Lembrai-vos de Nelson Mandela.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.17

Os diamantes e as delações são eternas

A situação de Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo – condenados, respectivamente, a 45 anos e 18 anos de prisão – vai piorar mais alguns quilates. Segundo o RR apurou, a joalheria Antonio Bernardo está prestes a fechar um acordo de leniência com o Ministério Público Federal. O pacote inclui ampla documentação sobre as vendas fechadas para o casal Cabral, ao valor total de R$ 3,8 milhões. Consultada, a empresa informou que “sempre colaborou com a Justiça e atendeu a todas as obrigações a ela imputadas.”

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.08.17

Facilidade total

Um notório fornecedor de serviços para o governo do Rio, ex-cliente do antigo escritório de advocacia de Adriana Ancelmo e envolvido na Operação Calicute, segue pintando e bordando em contratos com o estado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.05.17

Leniência 24 quilates

A joalheria Antonio Bernardo, envolvida no esquema de corrupção de Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo, estaria prestes a fechar um acordo de leniência com o Ministério Público Federal. Segundo informações apuradas junto ao MP, a multa passaria dos R$ 10 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

11.05.17

Gestão da família

Não bastasse a pressão da Lava Jato, Adriana Ancelmo vem tendo ainda uma peleja com Marco Antonio Cabral, filho de Sérgio Cabral, pela, digamos assim, gestão das finanças da família.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.03.17

Sara Joias paga seus pecados

A Sara Joias, uma das preferidas de Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo, terá de acertar suas contas com o erário. O Ministério Público do Rio vai entrar com uma ação para que a joalheria devolva ao estado os recursos referentes aos incentivos fiscais recebidos indevidamente entre 2013 e 2016. Levantamento preliminar indica que os incentivos nesse período totalizaram aproximadamente R$ 21 milhões. Mas essa cifra ainda pode subir mais alguns quilates. Os procuradores estão debruçados sobre os autos de todos os processos administrativos contra a Sara Joias na Secretaria de Fazenda.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.03.17

Lar, doce lar

Está explicado por que Adriana Ancelmo era vista cantarolando na prisão, conforme informou o RR na última sexta-feira.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.03.17

A metamorfose de Adriana Ancelmo

As carcereiras do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, estão admiradas com a mudança de comportamento de Adriana Ancelmo. A ex-primeira-dama, que costumava passar dias sem sair de sua cela e se mostrava sempre irascível, assumiu o papel da “simpatia em pessoa”. Ajuda nas tarefas, conversa com outras detentas e não falta a um banho de sol, quando divide o pátio com 199 prisioneiras. Em alguns momentos, chega a cantarolar com suas companheiras de cárcere.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

A H. Stern entregou ao Ministério Público do Rio um relatório de todas as vendas feitas a Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo ao longo de quase uma década. O valor total passaria dos R$ 5 milhões. Trata-se de um passo decisivo para a joalheira fechar seu acordo de leniência.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.