21.06.16
ED. 5394

Os maus ventos que sopram na agricultura

 Deméter, a deusa grega da colheita, não será muito generosa com a primeira safra do governo Michel Temer. No Ministério da Agricultura, já se dá como certa uma produção de grãos até 10% inferior à do ano passado, aumentando a ameaça de pressão inflacionária. A queda na casa dos dois dígitos deverá ser divulgada nos próximos dias, com a revisão das projeções da Conab para a safra 2015-2016. A nova estimativa ficará em torno das 185 milhões de toneladas, quatro milhões abaixo dos números divulgados pela autarquia no fim de maio e mais de 20 milhões aquém da previsão com que o Ministério da Agricultura trabalhava até o início deste ano.  Além da primeira queda da produção de grãos desde a safra 2008-2009, esta será também a maior redução nos últimos 14 anos. Os números refletem as condições climáticas hostis. Como se não bastasse o El Niño, que causou estiagem em áreas agrícolas do Maranhão, Piauí e Bahia, é aguardada para as próximas semanas a chegada de La Niña. O fenômeno deverá atingir notadamente a Região Sul, responsável por mais de 15% da produção brasileira de soja.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.