16.11.17
ED. 5746

Nuvens espessas na rota da Embraer

Em depoimento ao juiz Marcelo Bretas, na semana passada, executivos da Embraer negaram o pagamento de propina para a venda de oito aviões Super Tucano à Força Aérea da República Dominicana. Não é o que diz o Ministério Público do país caribenho, que, segundo a mídia local, já encaminhou à Justiça provas de suborno a pelo menos dois altos oficiais da Aeronáutica. O caso mais rumoroso envolve o coronel reformado Carlos Piccini Núñez, a quem a fabricante de aeronaves teria repassado cerca de US$ 3,5 milhões. A pressão sobre a Embraer tende a aumentar até o dia 30 de novembro, quando dirigentes da empresa prestarão depoimento à Justiça da República Dominicana. Procurada, a empresa disse ter fechado acordos com as autoridades norte-americanas e brasileiras para encerrar as investigações. Em relação à apuração em curso na Justiça dominicana, não se pronunciou.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.