12.12.17
ED. 5764

Magnata russo avança sobre os fertilizantes da Petrobras

A disputa pelas operações da Petrobras na área de fertilizantes esquentou. Além da norueguesa Yara, a russa EuroChem também teria aberto conversações com a estatal para a aquisição de suas três fábricas de nitrogenados, localizadas na Bahia, Paraná e Sergipe. Os ativos estariam avaliados em aproximadamente US$ 1,2 bilhão. A princípio, a unidade de nitrogenados de Três Lagoas (MS), sequer inaugurada, fica de fora do pacote.

A China National Petroleum Corporation (CNPC) é apontada dentro da Petrobras como a principal candidata a assumir o empreendimento e concluir as obras. Consultadas pelo RR, Petrobras, EuroChem e Yara não quiseram comentar o assunto. Por trás da EuroChem está um dos “eleitos” do Kremlin, um dos tantos empresários que chegaram ao Olimpo durante a era Putin. Andrey Melnichenko começou sua trajetória no sistema financeiro e migrou para a área industrial. É dono também de empresas de energia.

Costuma causar frisson por onde passa com o seu superiate, avaliado em mais de US$ 450 milhões. A venda das três fábricas da Petrobras poderá consolidar uma liderança ou chacoalhar o mercado brasileiro de fertilizantes. Se levar, a Yara dispara na dianteira, pulando de 25% para 33% de market share.

Recentemente, não custa lembrar, os noruegueses compraram a operação de fertilizantes da Vale em Cubatão. Já a EuroChem, que, no ano passado, chegou ao país com a compra da Fertilizantes Tocantins, busca seu passaporte para o top three do setor. Com a aquisição dos ativos da Petrobras, sua participação de mercado subiria de 7% para 15%. Os russos passariam a ser uma ameaça real aos dois líderes do setor, a própria Yara e a norte americana Mosaic com 20% das vendas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.