16.02.18
ED. 5807

Lula ensaia os versos da sua “Canção do Exílio”

Há algo que aproxima Lula de Ciro Gomes bem além das afinidades ou acordos de campanha eleitoral: o exílio do primeiro. Para ser mais exato, o exílio pela metade, pois não consta dos planos petistas mandar seu líder para o exterior. O ex-presidente não tem a áurea de santidade de Nelson Mandela ou a resistência psicológica de José Dirceu. Lula ficaria no Brasil, perto e longe do cárcere, encafuado em uma embaixada, articulando, gravando vídeos e regendo a banda de dentro daquele enclave estrangeiro no país.

Ciro tem o perfil sob medida para ser o anjo vingador do ex-presidente. Lula exilado precisa de quem o defenda, quem acenda fogo nas eleições, quem vocalize a liderança do PT com uma língua de labaredas. O cearense é exatamente essa encarnação. Esse modelo afastaria dois concorrentes a sucessores de Lula:Jaques Wagner e Fernando Haddad. Wagner transparece um certo gingado do espaguete western italiano à moda baiana; pura combinação de bonomia com a malemolência de Santo Amaro.

Já Haddad mais parece um sacristão, com imensurável capacidade para o perdão e discutível poder de indignação. Pelo enredo que circula em bem frequentadas esquinas petistas, a militância cercaria a embaixada escolhida montando um acampamento permanente. Ali, em meio à vigília, seria reduto do mito. Enquanto isso, Ciro montaria no seu cavalo Silver, com duas pistolas prateadas no coldre, e tome de tocar agitação nas cidades e na mídia.

Por essa lógica Lula passaria ao largo da prisão e com a eleição do seu ungido deteria uma forte influência no governo. O certo é que não só o PT pensa nessas cada vez mais heterodoxas saídas para tentar manter o ex-presidente no game como a situação sente-se muito incomodada com a hipótese do enfrentamento com um candidato que conhece suas intimidades, tem a agressividade como característica e estará adornado com as vestes e armas de Lula. Um candidato Sátiro, meio Ciro, meio Lula, parece ser o que as oposições podem apresentar de mais competitivo nas atuais circunstâncias.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.