12.01.18
ED. 5785

Huck quer apagar suas relações com o “eixo do mal”

Uma das preocupações do séquito de marqueteiros e “opiniáticos” que acompanha o pré-candidato não assumido Luciano Huck são as suas “relações perigosas”. Ele tem uma coleção de amigos políticos e milionários criminalizados. Essa convivência, tanto as pretéritas quanto as presentes, contradiz o discurso político escolhido para Huck: uma pessoa comum que não resiste a ajudar o próximo e os necessitados.

Quem viu a entrevista de Huck no Programa do Faustão enxergou tudo: o mote de campanha será aquilo mesmo, ou seja, ele é um homem que se comove com a pobreza e a desassistência. Vai disputar o território eleitoral do PT, já que a classe média está confortavelmente instalada no auditório do seu “Caldeirão do Huck”. O que não combina com essa bem afinada engenharia de campanha são os nomes de Aécio Neves, Alexandre Accioly, Eike Batista etc. O desafio é separar esses fios.

Uma das ideias é a afirmação de que Huck foi bastante solitário na infância e criou uma necessidade de cercar-se de muitos amigos, o que dificultava enxergar seus predicados condenáveis. Uma pessoa extremamente boa que somente encontrava qualidades nos outros. Faz parte da estratégia um acerto afetivo com alguns dos personagens, notadamente Aécio, para que seja tristemente confessada a decepção com o senador. A preocupação social de Huck será suportada por uma enorme campanha de depoimentos, tanto celebridades quanto anônimos. O discurso será o de que “nunca tantos testemunharam tanta bondade”.

E uma grana razoável já está sendo gasta para limpar o que for possível da algema de algoritmos do Google. É na masmorra dos sites de busca que estão aprisionadas as imagens mais comprometedoras do apresentador. São essas cenas que podem desconstruir o político em construção. Huck pode vir até a não ser candidato –na última quarta-feira, em post no Facebook, negou mais uma vez que vá disputar a Presidência –, mas a sua campanha já está em andamento. Conforme a vontade, determinação e estrito controle dele.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.