A operação Boca Livre, que investiga fraudes no uso de recursos da Lei Rouanet, acendeu um sinal de alerta na Bain Capital. A gestora norte-americana – dona da NotreDame Intermédica, “visitada” pela Polícia Federal na ultima terça-feira – teme ter herdado esqueletos que dificilmente uma due diligence encontra.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.