Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
25.01.18
ED. 5794

Lula avalia indicar o seu “poste” antes da prisão

“O que fazer?” A pergunta de Vladimir Ilyich Ulyanov, vulgo Lenin, popularizada em opúsculo do mesmo nome, invadiu a alta cúpula do PT logo após a condenação de Lula por unanimidade no TRF4. Segundo o RR apurou, intramuros os dirigentes do partido já dão como certa a prisão do ex-presidente a partir do fim de março, prazo em que os embargos declaratórios deverão ser apreciados pela própria Corte. Com a punição, a estratégia de esticar a candidatura até o mais perto possível do limite para homologação pelo TSE (15 de agosto) vai para o espaço.

Lula poderá passar grande parte da campanha eleitoral na cadeia. E o que fazer? Indicar o “poste” antes da prisão? Com a iminência do cárcere, a estratégia de anúncio do substituto do ex-presidente ganha o caráter de urgência urgentíssima. Pela avaliação dominante no PT, Lula precisa passear com o seu candidato pelo braço antes de ser preso. Ao mesmo tempo é preciso vitimizá-lo, a essa altura a fórmula capaz de valorizar a influência eleitoral do ex-presidente caso o seu encarceramento se confirme.

Esticar ao limite a candidatura Lula ou antecipar a escolha do nome que efetivamente estará na urna eletrônica em outubro? Eis a questão. Sob a ótica petista, o ideal é que a defesa do ex-presidente consiga postergar ao máximo sua prisão. Por mais tautológica e universal que a afirmação possa soar, neste momento a preocupação do partido é menos jurídica e mais política; menos humanística e mais pragmática. O PT precisa ganhar tempo para executar dois movimentos conjugados: vestir a camisa do novo candidato e tornar ainda mais trágico o calvário de Lula. O objetivo é extrair ao máximo sua carga simbólica e seu poder de persuasão sobre o eleitorado. Mesmo que Lula venha a ter sua prisão adiada ou mesmo não seja punido – hipóteses hoje improváveis -, o timing de transmissão da candidatura tornou-se central, dado que é certa a sua inelegibilidade e as alianças políticas dependem da definição do seu substituto.

Outra variável chave para o PT será o acompanhamento do impacto que a condenação terá sobre a popularidade de Lula, a mídia, notadamente a internacional, e o eleitorado. Um exemplo: está prevista para a próxima semana a divulgação da primeira pesquisa Datafolha após a decisão do TRF4. E se o resultado apontar para uma subida expressiva das intenções de voto no futuro presidiário? Some-se a isso o esforço de curtíssimo prazo do PT para não deixar que o ambiente de velório, necessário em um primeiro momento, contamine o estímulo à indignação, sem a qual Lula assistirá sua simbologia mofar na cadeia e seu poste cair por terra.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.01.18
ED. 5794

Estilhaços de Porto Alegre

Contratado para produzir o mais recente programa eleitoral do PT, o publicitário Sidônio Palmeira deverá ser confirmado como marqueteiro da candidatura do partido à Presidência da República. Sidônio comandou as duas vitoriosas campanhas de Jaques Wagner ao Governo do Bahia. Pode não significar coisa alguma; pode significar muita coisa…

Como se não bastassem o martírio judicial de Lula e a dramática escassez de novos quadros, o PT está prestes a perder uma fatia importante da sua ala jovem. Cerca de 50 diretores do movimento estudantil UJB, um dos maiores do país, deverão anunciar nos próximos dias sua desfiliação. A maioria passará a vestir a camisa do PSB.

Ontem, a entrevista de Fernando Haddad ao Estadão no último fim de semana ainda ecoava entre os dirigentes do PT. A presidente do partido, Gleisi Hoffmann, não escondia a irritação com o discurso de Haddad, notadamente em relação à reforma da Previdência. Na cúpula do partido, houve quem perguntasse se Haddad virou garoto-propaganda de Temer.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.01.18
ED. 5794

DNIT é jogado para o acostamento

O DNIT encontra-se à beira de um apagão financeiro. Direção e técnicos do departamento estão refazendo contas e cancelando projetos. O Orçamento de 2018 prevê verbas de R$ 3,7 bilhões, praticamente a metade da dotação da autarquia há dois anos. Nos cálculos do Departamento, a cifra não cobre sequer oito meses de despesas e investimentos no ano. Apenas a conservação de estradas, no âmbito do Plano Nacional de Manutenção Rodoviária (PNMR), consumirá mais de 60% do orçamento, isso se se os projetos forem integralmente executados, o que dificilmente ocorrerá. Faltam recursos até para obrigações de menor custo, como instalação de praças de pedágio, passarelas e radares. Procurado pelo RR, o DNIT não se pronunciou. Em tempo: em meio à saárica situação do DNIT, o governo ainda tem de administrar a crescente insatisfação do PR com a falta de dinheiro na área de Transportes, sesmaria do partido. Não é de se admirar que a sigla ainda não tenha fechado questão em relação à reforma da Previdência.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.01.18
ED. 5794

Derziê é um elo entre escândalo da Caixa e Temer

Dos três vice-presidentes da Caixa Econômica Federal já afastados em definitivo após denúncias do Ministério Público Federal, o caso que efetivamente causa apreensão no Palácio do Planalto é o de Roberto Derziê de Sant ́Anna. Derziê é da “casa”. Em 2015, deixou temporariamente a Caixa para trabalhar com Temer, então vice-presidente, na articulação política. É uma espécie de arquivo de memórias do pré-impeachment de Dilma Rousseff.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.01.18
ED. 5794

Posse pré-datada

Geraldo Alckmin ainda não deixou o governo de São Paulo, mas seu vice, Marcio França (PSB), já usa e abusa do cargo. França ofereceu a Secretaria Estadual de Transportes ao PR em contrapartida ao apoio da sigla à sua candidatura à “reeleição”, em outubro. É só o primeiro embrulho sobre o balcão. Estima-se que pelo menos outros cinco secretários deixem seus postos até abril, permitindo a França ampliar seu espectro de negociação com partidos aliados.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.01.18
ED. 5794

Legado olímpico

Além de carregar uma dívida de quase R$ 140 milhões, o Comitê Organizador da Rio 2016 estaria atrasando o pagamento de salários dos 20 profissionais que ainda emprega. A presidência do Comitê está vaga desde a prisão de Carlos Arthur Nuzman. Seu sucessor no comando do Comitê Olímpico do Brasil, Paulo Wanderley, chegou a mudar os estatutos da entidade para não ter de substituí-lo também na Rio 2016.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.01.18
ED. 5794

Pagamento no cartão

Concluída a oferta de US$ 2,6 bilhões na Bolsa de Nova York, a PagSeguro vai vestir o figurino de consolidadora do segmento de credenciamento de cartões. Seu maior objeto de desejo seria a Stone, leia-se Banco Pan (BTG e Caixa) e Arpex Capital. Procurada, a Stone nega a venda do controle. Já a PagSeguro não se pronunciou.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.01.18
ED. 5794

Extrafarma tem a cura

A Extrafarma, leia-se Grupo Ultra, tem interesse na compra da Big Ben. Trata-se de uma das redes farmacêuticas penduradas na holding BR Pharma, que entrou com pedido de recuperação judicial. A empresa tem cerca de 170 lojas nos estados de Pernambuco e Pará.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Em conversa com Geraldo Alckmin na semana passada, Gilberto Kassab tratou da possibilidade de ser o vice da sua chapa. Seria o hedge de Kassab e do PSD caso a candidatura de Henrique Meirelles não decole.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, costura com a Aneel a realização de um leilão de transmissão até maio. Se a privatização da Eletrobras não sair até abril, o que é mais provável, seria o canto de cisne, ou melhor, de Coelho antes de deixar o Ministério para concorrer ao governo pernambucano.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.01.18
ED. 5794

Ponto final

Procuradas, as seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Extrafarma, BR Pharma, e Rio 2016.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.