Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
invepar-rr-5562
16.02.17
ED. 5562

Mubadala é a conexão entre os trens da Supervia e da Invepar

O avanço sobre a participação da OAS na Invepar é apenas uma das peças do quebra-cabeças que o Mubadala pretende montar no transporte de passageiros no Rio. O mosaico se completaria com a entrada no capital da Supervia, leia-se Odebrecht Transportes. Com o duplo bilhete, caberia ao fundo de Abu Dhabi costurar a fusão entre as duas empresas e criar uma das maiores concessionárias de transporte urbano do país, com o controle do metrô e dos trens na cidade. Esse caminho conta com a simpatia de Previ, Funcef e Petros, os demais sócios da Invepar. Além de fazer o maior sentido do ponto de vista econômico e viário, a associação teria ainda a função de higienizar a imagem das duas empresas, afetada pelo tsunami da Lava Jato sobre os seus respectivos controladores.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

petrobras-rr-5562
16.02.17
ED. 5562

Petrobras e Total são só amor

Petrobras e Total já discutem novos investimentos no âmbito do acordo anunciado no fim do ano passado, da ordem de US$ 2,2 bilhões. Os aportes adicionais se dariam, sobretudo, no campo de Libra. Sócias de 15 projetos de exploração – seis no exterior –, Petrobras e Total estão entusiasmadas com a operação. As estimativas de custos em Libra já caíram 35% em relação às projeções iniciais.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.17
ED. 5562

Meirelles faz das chagas do Rio seu trampolim

“O Meirelles quer pavimentar sua candidatura à presidência em cima da desgraça do Rio de Janeiro”. A frase é atribuída ao ex-senador Roberto Saturnino Braga, um especialista em falência de unidades federativas – ele mesmo quebrou a cidade do Rio. A observação se ampara na inflexibilidade do ministro nas negociações.

Meirelles quer ser o FMI dos estados. Primeiro, exigiu uma submissão inaceitável para apoiar o governo do Rio. Depois sentou em cima da Lei de Recuperação Fiscal dos Estados. O projeto (ver RR edição de 24 de janeiro) era considerado como de aprovação urgente, não só por ser um importante elemento organizador das contas nas unidades federativas, regulamentando as condições de auxílio aos estados, como também uma peça de reforço estrutural ao ajuste fiscal, agindo sobre as expectativas.

Anteontem, Meirelles sinalizou o envio do projeto até amanhã , mas com contrapartidas draconianas, que o manteriam à frente de uma negociação duríssima com o governo do Rio. Segundo a versão Saturnino, Meirelles se credita como um estadista, capaz de tomar as medidas fortes e necessárias em situação de crise. No caso do Rio, nem sequer o presidente Michel Temer lhe faz sombra. Se fosse nas décadas de 30 a 50, acabava em guerra civil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.17
ED. 5562

“Pró-Porto”

O governo estuda uma espécie de Pró-Porto – alusão ao Proer dos bancos. Na verdade, está mais para um “Pró Santos”, onde o maior porto do país derrete. É isso ou fundar a “Portobras”, patrocinar uma consolidação com capital estrangeiro e solicitar os préstimos do BNDES à moda antiga.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.17
ED. 5562

Camilo Cola

A 13a Vara Cível de Vitória apura possíveis irregularidades na venda da Viação Itapemirim a investidores locais. A Itapemirim afirma que a operação foi regulamentada pela Lei de Recuperação Judicial.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.17
ED. 5562

Fezinha

A norte-americana Scientific Games é vista na Caixa Econômica como forte candidata ao IPO da Lotex, braço de loterias do banco.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.17
ED. 5562

Natura quer menos vendedoras e mais internet

A expectativa no mercado é que a Natura aproveite a divulgação de resultados, no próximo dia 23, não apenas para formalizar o projeto de expansão de lojas físicas, mas também para anunciar também um substancial plano de investimentos na área de e-commerce. O mote seria atrelar cada vez os procedimentos e rotinas das consultoras de venda ao site e ao aplicativo da empresa. A estratégia, claro, tem sua dose de crueldade, nessa inexorável batalha entre a tecnologia e o emprego – de vendedor já conhecido.

O objetivo é atrair um número cada vez maior de consumidoras diretamente para sua plataforma online, sem a necessidade de intervenção das consultoras. É o mesmo conceito das lojas físicas, mas com um potencial de escala maior e custos operacionais consideravelmente menores. Procurada, a Natura não quis se pronunciar.

Dizer que as “Naturetes” formam uma espécie em extinção é um superlativo exagero. Trata-se de um imprescindível exército de dois milhões de consultoras que respondem por aproximadamente 93% do faturamento da Natura. Mas é nítido o empenho da empresa em reduzir a dependência das promotoras – e, aos poucos, diminuir o número de representantes. A meta é aumentar a fatia dos demais canais de venda dos atuais 7% para 12% em três anos. Há, inclusive, simulações neste sentido sendo feitas no exterior. A França é uma cobaia de luxo: a Natura extinguiu sua equipe de vendas diretas no país – formada por apenas mil consultoras – para concentrar a comercialização dos produtos em lojas físicas e na internet.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

As redes sociais ganharam um nome de alta patente: o general Eduardo Villas Boas, comandante do Exército, entrou no Twitter. Em uma semana, já arregimentou 2.393 seguidores. O timing é sintomático, como revelam seus primeiros tuítes, quase todos dedicados a um só tema: a atuação do Exército na segurança pública no Rio e no Espírito Santo. O general termina seus posts com a frase “A missão será cumprida”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.17
ED. 5562

Troca de guarda

Discretamente, o Grupo Amaggi está semeando a passagem da gestão para a terceira geração da família. O eleito é Leonardo Maggi Ribeiro, sobrinho do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e atualmente no Conselho de Administração.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.17
ED. 5562

O pai postiço da ideia

Nos corredores do Congresso, o deputado Baleia Rossi tem se apresentado como pai da indicação de Rodrigo Pacheco (PMDB-MG) para o Ministério da Justiça. Mas quem conhece a histórica ligação do parlamentar com Michel Temer sabe que, no máximo, ele é o padrasto da ideia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.17
ED. 5562

A profecia

Aécio Neves recebeu um recado singelo de que vai perder bem mais do que ganhar se insistir em se apossar da Vale. O remetente tem como contribuir para que a profecia seja autorrealizável.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.17
ED. 5562

Ponto final

Procuradas, as seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Mubadala, Invepar, Supervia, Petrobras e Total.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.