Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
petrobras-rr-27
27.12.16
ED. 5525

Ecovix aguarda por uma boia de salvação da Petrobras

O futuro de quase 10% dos empregos no setor de construção naval dependerá, em grande parte, da boa vontade da Petrobras. Caberá à estatal o papel de árbitro da sobrevivência ou não da Ecovix, que teve seu pedido de recuperação judicial aprovado pela 2a Vara Federal de Rio Grande na semana passada. O estaleiro tenta convencer a Petrobras a retomar o pedido de três cascos para navios-plataforma, suspenso recentemente. Neste caldeirão entra também a pressão do ambiente psicossocial. Segundo o RR apurou, os metalúrgicos de Rio Grande, sede do estaleiro, preparam uma série de manifestações na tentativa de sensibilizar a Petrobras.

Se a investida der certo, a Ecovix ganha um sopro de vida e um contrato da ordem de US$ 800 milhões, uma garantia de fluxo de caixa pelo menos para os próximos dois anos – prazo estimado para a entrega das estruturas. No entanto, se a Petrobras fizer jogo duro, provavelmente o estaleiro gaúcho afundará de vez, levando consigo mais de 3,5 mil trabalhadores. Haja metalúrgico nas ruas para convencer a Petrobras a retroceder de sua decisão. Os três benditos cascos fazem parte de uma encomenda originalmente de oito unidades, feita em 2010.

Destas, apenas três foram efetivamente entregues. Por decisão da Petrobras, a construção das duas restantes foi transferida para estaleiros da China quando a crise financeira da empresa gaúcha se acentuou. Procurada, a estatal alega que, no passado recente, manteve várias negociações com a Ecovix com o objetivo de concluir o contrato. “Contudo, devido à grave situação financeira enfrentada pela empresa e a situação deficitária dos contratos”, as tratativas resultaram em um “distrato amigável”. Para não dizer que o peso sobre o destino da Ecovix recai apenas sobre a Petrobras, há ainda o Banco do Brasil e a Caixa Econômica, coadjuvantes de luxo deste folhetim naval.

Os dois bancos são considerados o fiel da balança para a renegociação das dívidas bancárias do estaleiro. Ambos concentram cerca de R$ 700 milhões, metade do passivo financeiro da companhia. Se BB e Caixa concordarem com uma expressiva renegociação deste valor, no âmbito da recuperação judicial, o entendimento é que as demais instituições financeiras seguirão o mesmo caminho. Mas até lá a Ecovix precisa continuar com as escotilhas acima do nível do mar.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

meirelles-rr-27
27.12.16
ED. 5525

Meirelles chacoalha no elevador

A orientação de Henrique Meirelles é acelerar a liberalização do comércio exterior. A bola da vez é o mercado de elevadores. A Fazenda estuda reduzir alíquotas e barreiras alfandegárias. Quem aperta o botão para o andar de cima são os fabricantes chineses, candidatos a abocanhar um pedaço das importações do setor, na faixa de 5% do mercado. Quem desce em direção ao fosso é o oligopólio da Atlas Schindler, Otis e Thyssen que domina 90% do comércio geral de elevadores. Se Meirelles não for devagar com o andor, daqui a pouco o “trio do sobe e desce” começa a querer importar também e reduz sua produção local.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.12.16
ED. 5525

Lava Jato 1

A Lava Jato investiga as relações do doleiro e lobista Lucio Funaro com Furnas. O que significa dizer que ela investiga as guloseimas e travessuras de Eduardo Cunha na estatal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.12.16
ED. 5525

Lava Jato 2

Com o recesso do Judiciário, boa parte da força tarefa da Lava Jato entrou de férias. Sérgio Moro, também. Nada impede, no entanto, que ele tenha deixado algum mandado de prisão assinado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.12.16
ED. 5525

Currículo

Correm a boca miúda diferentes versões sobre a repentina desistência de Eduardo Paes em dar aula na Universidade de Columbia. Uma delas diz que a instituição simplesmente teria cancelado os cursos sobre desenvolvimento urbano para os quais o prefeito havia sido convidado. A outra é que o próprio Paes declinou do convite por “livre e espontânea vontade” depois que a direção da universidade criou uma série de empecilhos para a sua contratação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.12.16
ED. 5525

Represália

A decisão da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) de abrir um processo para investigar denúncias de dumping na venda de produtos siderúrgicos chineses no Brasil reduziu consideravelmente as chances da CBSteel construir uma usina no Maranhão. As siderúrgicas já instaladas no país agradecem.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.12.16
ED. 5525

Trilhos cruzados

Há articulações, ainda embrionárias, para a fusão entre a Invepar, operadora do Metrô do Rio, e a Supervia, concessionária de trens urbanos da cidade. A operação se daria com o embarque de um investidor no capital da nova empresa. Não custa lembrar que, recentemente, a Brookfield tentou comprar a parte da OAS na Invepar. Procurada, a Supervia nega a operação.

A Invepar, por sua vez, não quis se pronunciar. A fusão é vista com bons olhos por Previ, Petros e Funcef, donas de 75% da Invepar. O trio aproveitaria a operação para reduzir sua participação em um negócio que tem exigido sucessivos aportes de capital. O acordo funcionaria ainda como uma solução para a delicada situação financeira da Supervia. A Light chegou a entrar com um pedido de falência da companhia por uma dívida de R$ 38 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.12.16
ED. 5525

Joinha is the new black

Adriana Ancelmo já ganhou um apelido entre as detentas do presídio de Bangu: “Joinha”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.12.16
ED. 5525

Segundo pouso

Os suíços da Zurich Airport estão debruçados sobre os números dos aeroportos de Porto Alegre e Fortaleza, que serão licitados em março de 2017. Desta vez, no entanto, os helvéticos não deverão ter ao seu lado a CCR, sua sócia no terminal de Confins.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.12.16
ED. 5525

Coalizão tem limite

O PSDB corre o risco de perder um de seus cinco governadores. Simão Jatene, do Pará, resiste à proposta do presidente da sigla, Aécio Neves, de fechar um acordo com o PMDB, de Jader Barbalho, para as eleições de 2018. O senador mineiro defende uma chapa única, com Jader e Flexa Ribeiro (PSDB) disputando à reeleição ao Senado e um candidato tucano para o governo. No limite, Jatene prefere virar casaca a ter que dividir palanque com Jader, seu inimigo declarado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.12.16
ED. 5525

Ponto final

As seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Ecovix, Prefeitura do Rio e Zurich Airport.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.