Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
06.12.16
ED. 5510

A “desmilitarização” da Reserva Nacional do Cobre

A iminente suspensão do decreto que proíbe a exploração da Reserva Nacional do Cobre pelas empresas privadas e estatais joga por terra um dos mais excêntricos fetiches do regime militar. A dita Reserva Nacional é uma área do tamanho do Projeto Jari original, ou seja, o correspondente a uma Bélgica. A menção explícita ao cobre é uma licença mineropoética. A área, entre o Pará e o Acre é, na verdade, uma reserva polimetálica, com evidências promissoras da ocorrência de molibdênio, tungstênio, bauxita, cassiterita, manganês e soi-disant do cobre. Era chamada pelos militares de “Segundo Carajás”.

Qualquer atividade na região necessita da aprovação do Conselho de Segurança Nacional. A Vale tentou inúmeras vezes incorporar algumas áreas mineralógicas ao seu portfólio de potenciais jazidas. Nunca conseguiu. Eike Batista, em momento de grande prestígio com a cúpula do governo do PT, também insistiu para explorar o filé. Esbarrou em algum gabinete militar.

A criação da Reserva Nacional do Cobre tem duas versões, ambas atribuídas ao nacionalismo extremado e ao desproporcional poder decisório de um militar pouco mencionado pelos estudiosos, o almirante Roberto Gama e Silva, que migrou do SNI para a presidência do Grupo Executivo do Baixo Amazonas (Gebam). Dentro do aparato de segurança, o Gebam foi criado para ser uma espécie de irmão gêmeo do Grupo Executivo do Araguaia-Tocantins (Getat). A principal diferença entre os dois, inicialmente dirigidos ao combate à guerrilha, era a fixação de Gama e Silva em guardar em um cofre forte a riqueza mineral do país, fechando-o para sempre.

Na primeira versão do nascimento da Reserva Nacional, o almirante leva ao grande amigo presidente João Batista Figueiredo o projeto para evitar que o Brasil exaurisse suas jazidas minerais, seguindo o roteiro da Vale de comercialização in natura, sem que a matéria-prima fosse beneficiada no país e exportada com alto valor agregado. Sua sala ficava no Palácio do Planalto, relativamente próxima do gabinete de Figueiredo. Gama e Silva teria pedido ao presidente que ordenasse as Forças Armadas para resguardar a área com destacamentos. “João” deu a reserva, mas não aprovou que a região se transformasse em algo similar a uma zona de guerra.

A segunda versão diz respeito ao ódio que Gama e Silva nutria por Daniel Ludwig, biliardário dono do Projeto Jari. Reza a lenda que, em uma das reuniões entre Ludwig e Gama e Silva para destravar os obstáculos ao empreendimento, o empresário colocou um dos pés sobre uma cadeira. Gama e Silva trovejou que não suportava desrespeito, que ia cercar toda a região em uma Reserva Nacional e prometia tirar Jari de Ludwig. O ex-presidente da Vale Eliezer Batista conta outra história. O superempresário Azevedo Antunes, dono do Grupo Caemi, que depois assumiria o controle do Jari, disse que Ludwig estava com uma suave torção na perna. A tentativa de amenizar o incômodo custou-lhe bilhões de dólares.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.12.16
ED. 5510

Perna engessada

A morosidade do Cade em analisar a fusão com a Estácio paralisou investimentos da Kroton da ordem de R$ 180 milhões, voltados à compra de faculdades no Norte e Nordeste do país. Rodrigo Galindo, presidente da empresa, acredita que a fusão só será concretizada no ano que vem.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.12.16
ED. 5510

O mapa da mina dos “amigos de Cabral”

O Ministério Público do Rio de Janeiro está montando o quebra-cabeças das empresas que mais receberam benefícios fiscais suspeitos durante o governo de Sérgio Cabral. Parte dos nomes deverá vir à tona ainda nesta semana.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.12.16
ED. 5510

Perda de tempo

Um grupo de economistas notáveis se reúne hoje com o presidente da Comissão de Orçamento, Finanças, Fiscalização Financeira e Controle da Assembleia Legislativa do Rio, deputado Pedro Fernandes, na tentativa de encontrar soluções para a crise do estado. Vão cumprir tabela. Como se sabe, já existe um acerto por cima com o governo federal – ver a edição de ontem do RR.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.12.16
ED. 5510

Escolha de Sofia

O primeiro ano de Flavio Cotini como CEO do Walmart Brasil não se notabilizará pela última linha do balanço. Pelo contrário. O aumento de 10% das vendas acumulado pela varejista até novembro foi obtido à custa do sacrifício da rentabilidade. A margem operacional teria caído de 4% para menos de 3%, a menor em uma década

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.12.16
ED. 5510

Mr. Security

O ex-secretário de Segurança do Rio José Mariano Beltrame anda requisitadíssimo. Escolhido para encabeçar o Conselho de Segurança do futuro prefeito João Doria, está cotado também para ser consultor estratégico do governo gaúcho. O Rio Grande do Sul, terra natal de Beltrame, vive uma grave crise na segurança

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.12.16
ED. 5510

Armínio Fraga

Atenção, Meirelles! Olha o Armínio Fraga aí outra vez, dando entrevistas, articulando com a tucanada, fazendo intriga, fofocando etc. Tudo pela mesma causa. O cara só pensa naquilo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.12.16
ED. 5510

Descrédito

Desde que o curandeiro empresarial Ricardo K foi contratado para tocar a recuperação judicial da PDG, no início de novembro, a ação da incorporadora já caiu 42%.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.12.16
ED. 5510

Mata jornal

O codinome do portal G1 é “mata jornal”. Ele é chamado assim até pelos próprios repórteres do site.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

06.12.16
ED. 5510

Ponto final

Procuradas, as seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Kroton e Walmart.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.