Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
29.08.16
ED. 5443

Como será o amanhã de Dilma Rousseff?

 Dia seguinte à votação final do impeachment: Dilma Rousseff prepara-se para deixar o Palácio da Alvorada. Acometida desde a véspera de sentimentos mórbidos, nutre a desagradável sensação de ser a sua própria Lady Macbeth. Mas, às favas com as névoas da alma, só resta prosseguir pelejando. Foi o que sempre fez desde os tempos de guerrilheira. Ao mirar os canteiros de flores que mimoseiam o jardim, presente do imperador Hiroito a JK, a ex-presidente repassa nos pensamentos quais serão os passos seguintes. Pretende rodar pelo mundo, indo ao encontro de líderes políticos de diversas latitudes. Quer aproveitar o calor da cassação e do interesse que o assunto desperta na imprensa estrangeira. Tem o que dizer: foi vítima de um “golpe parlamentar” em um país que é a terceira maior democracia e oitava economia do mundo. Quer manter acesa a chama da indignação. Dilma vai apoderar-se da bandeira da defesa da Lava Jato, que estaria sob a ameaça do grupo político que a apeou do poder. O vulpino Michel Temer seria o maior inimigo da Lava Jato.  Dilma margeia o lago em frente ao Alvorada. Ao ver sua imagem refletida no espelho d´água, pensa consigo mesma. “Jamais movi um dedo para obstruir as investigações; não transferi delegados nem pressionei procuradores; e nunca intercedi junto a esse ou aquele ministro do Supremo.” A ex-presidente sabe que o seu maior ativo é imolação pública no altar da legalidade. Nos seus planos está a troca de partido. A interlocução com os líderes do PT é cada vez mais rara, quase inexistente. Dilma enxerga uma nova bandeira partidária. O PDT é uma pule de dez. Ela se vê agora em um escritório, muito possivelmente em Porto Alegre, cercada por uma equipe de técnicos e assessores. Nada de “Instituto Dilma”. Um centro de estudos modesto, com poucos sponsors. Um exemplo seria a fiel amiga e “latifundiária de esquerda” Katia Abreu. Esse gabinete paralelo, chefiado pelo ex-marido e leal companheiro de vida Carlos Araújo, irá acompanhar o “governo golpista” e produzir estudos contrariando os números e medidas adotadas.  A secura do ar do Planalto Central, à qual nunca se habituou, deixaria finalmente pelas costas. Na véspera da sua crucificação pelo Senado, a figura do ex-presidente Lula inundou sua memória, com imagens da convivência entre ambos repetindo-se no pensamento. A partir dali seus caminhos se bifurcariam: Lula lá, ela cá. Da sua trajetória épica de lutas no poder central carrega consigo apenas singelos dizeres: “Dilma, guerreira, da pátria brasileira”. É a sua verdade absoluta.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

 Os ministros da Justiça, Alexandre de Moraes, e da Defesa, Raul Jungmann, chegaram a discutir com José Ivo Sartori a entrada emergencial das Forças Armadas na segurança pública do Rio Grande do Sul, onde há uma grave crise devido ao aumento dos latrocínios, o que tem gerado crescentes protestos da população. Por fim, chegou-se ao entendimento de que o deslocamento de agentes da Força Nacional seria menos “invasivo”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.08.16
ED. 5443

Turbinas

 Surgiu uma luz no fim do túnel da Wind Power Energia (WPE), que está em recuperação judicial e com a fábrica de aerogeradores parada em Pernambuco. A alemã Nordex se apresentou para negociar a compra dos ativos da companhia, controlada pela argentina Impsa. Aguarda apenas a decisão do STJ se o processo de falência correrá na Justiça de São Paulo ou de Pernambuco.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.08.16
ED. 5443

Jardim de Alá

 A Tanmiah Food Group , um dos principais produtores de frango da Arábia Saudita, é o novo alvo da BRF no Oriente Médio. A empresa tem sete fábricas na região e fatura cerca de US$ 300 milhões por ano. Nos últimos dois anos, Abílio Diniz já comprou ativos em Omã, Emirados Árabes e Kuwait.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.08.16
ED. 5443

“Obra de igreja”

 Pelos seus novos cálculos, o Ministério das Cidades só conseguirá zerar o atraso na entrega de mais de 30 mil imóveis do Minha Casa Minha Vida no fim de 2017. Antes, a previsão era de que todas essas unidades poderiam ser entregues até junho do ano que vem.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.08.16
ED. 5443

Segundo tempo

 A Triunfo Participações não deverá comparecer na primeira leva de leilões do governo Michel Temer. A companhia só voltará ao game em 2017. Por ora, a prioridade é reduzir o endividamento total de suas concessões rodoviárias e aeroportuárias, da ordem de R$ 3 bilhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.08.16
ED. 5443

Boas novas direto do Japão

„ Há menos de um mês, quando a presidente mundial da Panasonic, Kazuhiro Tsuga, esteve no Brasil, sua chegada era vista na empresa como o prenúncio de demissões e cortes. Erraram todos os que apostaram em medidas restritivas. Tsuga veio para anunciar a ampliação do parque fabril da companhia com a construção de uma quarta planta industrial, voltada à produção de painéis fotovoltaicos, baterias e pilhas. O Brasil passará a ser o centro das operações do grupo nipônico na América do Sul.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.08.16
ED. 5443

Homem do campo

 Jovair Arantes (PTB-GO) já está em campanha para a eleição à presidência da Câmara, em fevereiro. Tem organizado diversos encontros com a forte bancada ruralista.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.08.16
ED. 5443

Máquina à venda

 Em busca de um comprador para a rede varejista Máquina de Vendas, o BTG teria batido à porta das gestoras norte-americanas Advent e Carlyle. Antes, manteve tratativas com o Magazine Luiza, mas a conversa não andou.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.08.16
ED. 5443

Interrogação

 Dona Marisa está aflita com a ideia de Lula comparecer à defesa de Dilma Rousseff, hoje, no Senado. Inicialmente, ela estimulou a iniciativa e insistia em acompanhá- lo. Mas, depois do indiciamento, o ex-presidente ficou muito nervoso. Agora, Dona Marisa acha melhor que ele não vá.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.