Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
16.05.16
ED. 5369

Temer acende uma vela para as Forças Armadas

 Não se sabe ao certo onde termina o reconhecimento à importância das Forças Armadas para a nação e começam o pragmatismo e o senso de autopreservação de Michel Temer. O fato é que o novo presidente vai governar de mãos dadas com o oficialato. Como se não bastasse o tributo à bandeira no uso do slogan positivista “Ordem e Progresso”, a relevância que Temer dará a esta aliança pode ser medida pela antecedência com que ela foi costurada. Segundo o RR apurou, a estrutura de comando da área de defesa do governo Temer começou a ser alinhavada em setembro do ano passado, quando as discussões sobre o impeachment de Dilma Rousseff se intensificaram e as ruas começaram a efervescer. Esse cenário trouxe a reboque um natural frenesi quanto à hipótese de um quadro de absoluta desordem pública e institucional desembocar em uma intervenção militar, algo que perdurou até a consumação do afastamento de Dilma. Temer tratou de construir suas pontes com as Forças Armadas, contando sempre com a participação decisiva de Nelson Jobim.  Candidato de primeira hora de Temer para o Ministério da Defesa, o próprio Jobim recusou o cargo por atuar como advogado de empresas envolvidas na Lava Jato. Mesmo sem se sentar na cadeira de ministro, foi o grande articulador da montagem da equipe de governo para o setor. Curiosamente, os militares queriam a permanência de Aldo Rebello na Defesa, que não aceitou permanecer na gestão Temer. Foi, então, que Jobim sacou o nome de Raul Jungmann e trabalhou pela sua aprovação junto à área militar.  Nelson Jobim teve participação decisiva também na escolha de Sergio Etchegoyen para o Gabinete de Segurança Institucional (GSI). O ex-ministro do STF é muito amigo do general e de seu irmão Ciro Etchegoyen, relacionamento que vem desde a cidade de Cruz Alta (RS). Foi um momento de inspiração de Jobim. Etchegoyen é duro que nem um carvalho, mas tem um perfil democrata e detona qualquer um que venha pregar como vivandeira junto aos bivaques. O oficial terá sob seu comando uma espécie de “super” Gabinete. A intenção do governo Temer é fortalecer a área de informações de forma ampla, em um aspecto lato sensu. A medida vale não apenas para as Forças Armadas e as polícias civil e militar, mas também para o serviço de inteligência em diversas outras instâncias do Estado, desde o BC e o Coaf, leia-se o monitoramento de movimentações financeiras suspeitas de conexão com o crime organizado e terrorismo internacional, até o Ministério da Agricultura, responsável pelas “fronteiras fitossanitárias” do país.  Dentro dessa grande pactuação, é grande a expectativa entre o Alto-Comando Militar que já nos próximos dias Michel Temer anuncie a retomada de projetos estratégicos das Forças Armadas. Espera-se também que o governo apresente um plano para a quitação dos mais de R$ 10 bilhões em dívidas com grandes fornecedores das três Forças, como Embraer e Iveco – ver RR edição de 2 de maio. Outra questão extremamente nevrálgica – e haja ajuda da equipe econômica – é a pressão dos militares por uma melhor política salarial. Uma das reivindicações ao novo governo é trazer para o presente o aumento dos militares concedidos pela presidente afastada Dilma Rousseff. O reajuste, na média de 22%, foi escalonado até 2019. Um soldado, por exemplo, que recebia R$ 1.500, terá de esperar mais três anos para que o soldo chegue a R$ 1.800.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.05.16
ED. 5369

Fogo brando

 A Thomas H Lee Partners decidiu concentrar nos Estados Unidos os planos de expansão da rede de churrascarias Fogo de Chão. Até 2019, está prevista a abertura de dez restaurantes no país. Em contrapartida, não haveria qualquer inauguração prevista para o Brasil no período. Consultada, a empresa confirma a prioridade na expansão internacional, mas garante que pretende abrir unidades no Brasil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.05.16
ED. 5369

Cunha não para

 Eduardo Cunha articula 24 horas por dia para que André Moura (PSC-SE), um de seus mais fiéis aliados, seja o novo líder do governo na Câmara. De quebra, trata de manter em alta a “candidatura” de Jovair Arantes (PTB-GO) para o seu lugar caso seja definitivamente afastado da presidência da Casa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.05.16
ED. 5369

Terra chinesa

 O grupo chinês Pengxin está em conversações com o governo do Mato Grosso para implantar um grande projeto agrícola e logístico no estado. Ao todo, os asiáticos acenam com investimentos de até US$ 2 bilhões na compra de terras, plantação de grãos e em infraestrutura.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.05.16
ED. 5369

Pepsi sem gás

 O primeiro trimestre foi uma lástima para a Pepsico no Brasil. O faturamento da fabricante de bebidas caiu 20% em relação ao mesmo período de 2015. Trata-se de um número altíssimo para um setor pouco habituado a bruscas variações. Procurada pelo RR,a Pepsico não comentou o assunto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.05.16
ED. 5369

Nome no gatilho

 O novo ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, deverá anunciar nos próximos dias a nomeação de João Bosco de Almeida para a secretaria executiva da Pasta. Pernambucano, Bosco foi presidente da Chesf e é muito ligado ao grupo político do falecido Eduardo Campos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.05.16
ED. 5369

O imparcial

 O escolhido para comandar a publicidade no governo Michel Temer é o filósofo Denis Rosenfield, um dos quadros diletos do Instituto Millenium. É de se esperar, portanto, uma mídia técnica, pautada por critérios de isenção e sem qualquer viés ideológico.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.05.16
ED. 5369

Discreto

 O ex-ministro da Casa Civil no governo FHC, Pedro Parente, discretamente alcançou a pole position na disputa pela presidência da Petrobras.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.05.16
ED. 5369

Transferência

 Flavio Decat, atual presidente de Furnas, tem convite do governador Fernando Pimentel para assumir o comando da Taesa. Trata-se da joint venture entre a Cemig e investidores privados na área de transmissão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.05.16
ED. 5369

Ibmec

 A norte-americana DeVry estaria em busca de um sócio para o Ibmec. Procurada pelo RR, a DeVry não comentou o assunto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.