Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
30.10.15
ED. 5238

Um solução indiana para Abreu Lima

 O nome do bilionário indiano Venugopal Dhoot tem sido pronunciado de forma cada vez mais recorrente na Petrobras. Nem tanto pela já anunciada disposição do magnata em investir US$ 2,5 bilhões em seus dez blocos de petróleo e gás no país – um deles, o SEAL-M-426, em Sergipe, uma parceria com a própria estatal. O interesse da Petrobras reside na intenção da Videocon Industries, controlada por Dhoot, de verticalizar sua operação no Brasil, a começar pela área de refino. A direção da companhia enxerga no empresário um sócio em potencial para a refinaria de Abreu Lima, uma das cabeças de burro que a Lava Jato enterrou na estatal.  Nos cálculos mais conservadores, ainda falta pelo menos US$ 1,5 bilhão para que a Abreu Lima possa entrar em operação com a capacidade originalmente prevista de 230 mil barris/ dia. Esse investimento só se viabilizará com a presença de um parceiro. A Petrobras não quer e, sobretudo, não pode dispender sozinha dessa cifra, que representa 10% do seu orçamento para a área de abastecimento no perí- odo 2015-2019.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.10.15
ED. 5238

Carrefour embala primeira aquisição da “Era Abilio Diniz”

 Os planos de Abilio Diniz de liderar um processo de consolidação no varejo brasileiro por meio do Carrefour começam a sair do papel. O grupo negocia com a chilena Cencosud a compra dos supermercados Prezunic, do Rio de Janeiro. São 31 lojas, com faturamento anual próximo dos R$ 3,5 bilhões. A empresa estaria avaliada em aproximadamente R$ 1,2 bilhão, algo em torno de US$ 280 milhões – abaixo, portanto, dos US$ 380 milhões que os chilenos pagaram à família Cunha, fundadora da rede varejista, há quatro anos. Entre os próprios funcionários do Prezunic, a venda para o Carrefour é tratada como favas contadas. Há vários sinais de que a casa já está sendo arrumada para a chegada do novo morador. Nas últimas semanas, os chilenos teriam feito várias demissões na rede varejista. Boa parte das lojas entrou em reforma, com mudanças de layout e troca de equipamentos. Além disso, em quase todas as unidades haveria um alto índice de ruptura, leia-se falta de mercadorias – um indicativo de que a Cencosud teria interrompido a reposição de estoques, algo comum no varejo quando uma rede está prestes a ser passada à frente. Consultado pelo RR, o grupo nega a venda do Prezunic.  Em termos de receita, o Prezunic, isoladamente, pouco ajudará o Carrefour a reduzir a distância para o Pão de Açúcar – hoje na casa dos R$ 30 bilhões, se acrescido o faturamento da ViaVarejo. No entanto, o negócio tem forte valor simbólico, seja por quem compra, seja por quem vende. No caso do Carrefour, a operação confirmará o que se espera do grupo desde a chegada de Abilio Diniz, isso para não falar do fortalecimento do grupo no Rio de Janeiro. Atualmente, os franceses têm apenas 12 lojas no estado. Curiosamente, o Prezunic teria o mesmo destino de outras três redes de supermercados fundadas pela mesma família Cunha – Dallas, Continente e Rainha –, todas compradas pelo Carrefour no fim dos anos 90.  Do outro lado, a venda do Prezunic despejará ainda mais combustível nas especulações em torno do próprio futuro da Cencosud no Brasil. A negociação pode ser interpretada como uma última tentativa dos chilenos de reequilibrar sua operação no país antes de partir para a solução radical: a saída em definitivo do mercado brasileiro, este, sim, um movimento com maior potencial de impacto sobre o ranking do setor. Ao todo, o grupo chileno fatura cerca de R$ 10 bilhões no país.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.10.15
ED. 5238

Investigação virtual

 Os procuradores da Lava Jato querem ouvir o ex-funcionário do Congresso Luiz Antônio Souza da Eira. Para quem não está ligando o nome à pessoa, trata-se do ex-diretor de informática da Câmara dos Deputados, demitido por Eduardo Cunha em abril deste ano. Em sua delação premiada, o lobista Fernando “Baiano” trouxe à tona novos fatos relacionados ao rumoroso episódio dos requerimentos encaminhados à Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara, em 2011, cujo objetivo seria pressionar a Mitsui. Suspeita-se que Eduardo Cunha tenha sido o verdadeiro autor dos documentos, que, para todos os efeitos, foram registrados no sistema da Casa em nome da então deputada Solange Almeida.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.10.15
ED. 5238

Dupla utilidade

  A Monsanto costura com outros fabricantes de sementes a criação de uma organização não governamental para levantar a bandeira dos transgênicos. Há quem veja outras utilidades na iniciativa. A ONG seria um caminho para apoiar campanhas eleitorais caso o financiamento de empresas seja efetivamente proibido. Tudo, ressalte-se, absolutamente dentro da lei.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.10.15
ED. 5238

Tufão chinês

  Ventos provenientes da China trazem a informação de que a CGN Meiya Power Holdings, uma das maiores produtoras de energia eólica da Ásia, reservou cerca de meio bilhão de dólares para a compra de ativos no Brasil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.10.15
ED. 5238

Recado dado

 Luís Ermírio de Moraes, filho do inesquecível Antônio Ermírio, confessou a um interlocutor que estava constrangidíssimo com um episódio recente. Em uma conversa despretensiosa, revelou informações que uma pessoa de sua grande admiração lhe confidenciara. Não agiu por mal. Fez, digamos assim, por bobeira. As informações vieram a público e causaram um mal ao país.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.10.15
ED. 5238

Colarinho frouxo

 José Auriemo Neto vai passar a tesoura na gravata Hermès que está apertando seu pescoço. O grupo JHSF, de Auriemo, está decidido a romper a sociedade com o grupo italiano no Brasil. O motivo são as divergências em relação à expansão da rede no país.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.10.15
ED. 5238

Maratona

 No primeiro escalão da Petrobras, o campeão de banco de horas é o diretor financeiro, Ivan Monteiro. Só falta varar a noite.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.