Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
28.05.15
ED. 5130

BP é a exceção á regra no setor sucroalcooleiro

A BP trafega na contramão do setor sucroalcooleiro. No momento em que grupos estrangeiros tentam se desfazer de seus ativos, usinas fecham as portas e as demissões se multiplicam por todo o país, os ingleses aprovaram um plano de investimentos da ordem de R$ 2 bilhões para os próximos três anos. Com três usinas no país – duas em Goiás e uma em Minas Gerais -, a BP Biocombustíveis pretende ampliar sua capacidade de processamento de cana-de-açúcar em 50%, atingindo a marca de 15 milhões de toneladas por safra. Além dos investimentos no greenfield, o grupo quer aproveitar a crise do setor para comprar ativos na bacia das almas. Entre os alvos no radar da BP despontam os grupos Unialco e Virgolino de Oliveira. A dupla preenche os pré-requisitos para cair no gosto dos britânicos: trata-se de empresas fragilizadas por dificuldades financeiras, ambas têm produção própria de matéria-prima, suas usinas estão localizadas em São Paulo e todas contam com uma razoável estrutura de logística. Com os novos investimentos, o Brasil se consolidará como a maior base de geração de energia renovável da BP em todo o mundo. Hoje, o país responde por aproximadamente 30% da receita global da divisão de biocombustíveis do grupo. Entre os ingleses, a expectativa é de que esta fatia chegue a 50% em até uma década. Com a base de produção de etanol estendida e escala suficiente para garantir o atendimento tanto ao mercado doméstico quanto a s exportações para a Europa e os Estados Unidos, a BP Biocombustíveis daria a partida em um processo de verticalização de sua atuação no setor de energias renováveis. O grupo entraria nos negócios de transporte e distribuição de combustíveis, com a construção de dutos e centros de armazenamento. A maior inspiradora da BP é a própria BP. Guardadas as devidas proporções, os ingleses replicariam na área de biocombustíveis o modelo já adotado no mercado brasileiro de combustível de aviação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.05.15
ED. 5130

Enquanto isso, no país do ajuste fiscal…

 O enevoado empresário Miguel Ethel está pilotando uma operação mágica para surgirem dezenas de usinas de energia eólica no Brasil. Ethel, que já fez milagres com pequenas centrais hidrelétricas, agora quer abraçar o meio ambiente. Toda essa ventania será feita sem que o empresário saia das brumas, como sempre.  O ex-senador Gilberto Miranda, tido pelos profissionais do ramo como o homem mais rico do Brasil, e o Bispo Macedo, o afortunado dono da Record, vão se associar na construção de um shopping em Manaus. Segundo a fonte do RR, será o primeiro a ter como “loja âncora” um templo da Igreja Universal. Aliás, um baita templo. A decisão do STF de circunscrever ao TCU o acesso ao financiamento do BNDES – no caso as operações com a JBS – teve cuidado de expor menos o banco e a empresa. O STF sabe que tem maluco no Congresso querendo colocar os dados nas redes sociais. De qualquer forma, fica o risco da “Rádio TCU” e do vazamento de informações para a mídia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.05.15
ED. 5130

Governo cria incentivo Á  produção de turbinas

O governo discute a criação de uma linha de crédito, no âmbito do BNDES, voltada aos fabricantes de turbinas para geração de energia. O objetivo é afastar o risco de um apagão no fornecimento de equipamentos, especialmente quando as grandes hidrelétricas da Amazônia, a começar pelas usinas do Rio Tapajós, saírem do papel. Segundo estimativas do Ministério de Minas e Energia, as encomendas nos próximos cinco anos deverão chegar a  marca de 150 turbinas. No entanto, a situação de alguns dos principais fabricantes instalados no país é preocupante. A argentina Impsa está a s voltas com uma grave crise financeira e colocou a  venda o seu parque industrial em Pernambuco. A alemã Voith Hydro, por sua vez, já sinalizou a possibilidade de suspender suas atividades no país. O governo teme que a necessidade de importação de turbinas e o consequente encarecimento dos projetos, somado a um ambiente de retração da economia, desestimulem a participação de investidores nos próximos leilões de energia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.05.15
ED. 5130

Casa Cor

Corre entre afortunados dos Jardins e adjacências a informação de que a Justiça vai leiloar até outubro a mansarda do ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira. O palacete de 8 mil m2 está avaliado em R$ 120 milhões. Com as centenas de obras de arte que lá estão, a conta sobe um pouquinho…

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.05.15
ED. 5130

Troca de guarda

 Agora que já assentou no cargo, limpou a contabilidade da Petrobras e anunciou o balanço, Aldemir Bendine está convicto de que chegou a hora de mexer na gestão das subsidiárias do grupo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.05.15
ED. 5130

Maçã mordida

É dura a vida na Apple. Que o diga a presidente da companhia no Brasil, Paula Bellizia. A executiva entregou um aumento de 40% nas vendas de iPhone em 12 meses. Recebeu de volta uma reprimenda dos norte-americanos, que esperavam uma alta de 60%. Será que eles têm lido os jornais brasileiros?

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.05.15
ED. 5130

Natura

São grandes as chances de a Natura encerrar suas atividades na Argentina. É muito investimento, notadamente em logística, para pouca rentabilidade.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

28.05.15
ED. 5130

Segundo round,

A aquisição de um pacote de eólicas e PCHs da Renova Energia foi apenas o aperitivo. A norte-americana SunEdison deverá anunciar em junho a compra de uma participação de 26% na empresa. Dessa fatia, 16% virão da Light; o restante, sairá das mãos de um grupo de fundos de investimento. Procurada, a Renova não se pronunciou, alegando estar em período de silêncio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.