Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
04.03.11
ED. 4114

BTG market

André Esteves quer agora comprar uma rede de supermercados. Quem está prospectando o negócio é seu sócio Claudio Galeazzi.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.03.11
ED. 4114

Camargo Corrêa

O presidente da Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário (CCDI), Francisco Sciarotta Neto, caminha sobre uma corda bamba. São cada vez maiores as chances de que seu contrato, que vence em abril, não seja renovado. Entre os herdeiros de Sebastião Camargo, é crescente a insatisfação com os resultados da CCDI.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.03.11
ED. 4114

Deep throat

Maria Fernanda Coelho já identificou as digitais de um ex-deputado do PMDB, bem próximo da Caixa Econômica Federal, por trás das especulações de que ela deixará a presidência do banco.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.03.11
ED. 4114

Saúde pública

Era só o que faltava! Evo Morales está tentando abrir filiais da Embotelladora SCM TIPO em diversos países da América do Sul, Já houve gestões a respeito com o governo brasileiro. Para quem não está ligando o nome da empresa ao seu principal produto, a SCM lançou recentemente o primeiro refrigerante feito de folhas de coca, o Coca Brynco.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.03.11
ED. 4114

Gafisa

A Gafisa entrou em uma disputa judicial pela posse do terreno na Tijuca, Zona Norte do Rio, onde funcionava o Colégio São José. O local dá para três prédios e sobra.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.03.11
ED. 4114

Embrapa vira aríete contra sementes das multinacionais

 O governo trabalha em um projeto que pega pela raiz as grandes multinacionais da área de agrociência presentes no país, a começar por Monsanto, Bayer e Syngenta. Em jogo, a criação de uma empresa 100% nacional voltada ao desenvolvimento e a  produção de sementes, convencionais e transgênicas. O objetivo é criar uma alternativa ao oligopólio que as empresas internacionais estabeleceram no país. A companhia ficaria pendurada na Embrapa. Estão debruçados sobre o projeto o ministro da Agricultura, Wagner Rossi, e da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante. A proposta tem o apoio da bancada ruralista e de políticos ligados ao setor. Um dos principais interlocutores do governo tem sido o senador Blairo Maggi. O exgovernador do Mato Grosso se compromete a retomar no Congresso a antiga proposta do senador Delcídio do Amaral para a abertura de capital da Embrapa. A entrada de novos sócios, preferencialmente fundos de pensão e outros grandes investidores de capital nacional ? financiaria a criação da nova subsidiária.  Este é um daqueles projetos nos quais o governo só enxerga benefícios para todos os envolvidos. O principal objetivo é criar uma empresa capaz de concorrer e minar a primazia das multinacionais no desenvolvimento e venda de sementes, notadamente transgênicas. Hoje mais de 70% dos pedidos de patentes apreciadas pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) são enviados por empresas internacionais. O maior beneficiado seriam os agricultores, que passariam a ter uma nova opção para a compra de sementes. Hoje, estão praticamente na mão de três ou quatro companhias estrangeiras que estabelecem os preços do insumo e impõem draconianos reajustes anuais. O caso mais emblemático é o da Monsanto, que vive a s turras com os agricultores, principalmente nos períodos de aumento dos royalties das sementes de soja geneticamente modificadas. Entidades representativas do setor, como a Aprosoja, regularmente acionam o Ministério da Agricultura por conta da truculência com que a Monsanto conduz as negociações.  A expectativa do governo é que a nova empresa passe a arbitrar os preços das sementes transgênicas, forçando as multinacionais do setor a rever o valor dos seus royalties. Além disso, o projeto daria um novo status a  própria Embrapa, que ganharia um braço de trader com musculatura suficiente para desenvolver e comercializar sementes em outros países da América do Sul

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.03.11
ED. 4114

Ford

Há pouco mais de quatro anos no cargo, Marcos de Oliveira estaria rodando seus últimos quilômetros como presidente da Ford no Brasil e no Mercosul.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.03.11
ED. 4114

Tribanco toma o rumo da Bolsa

O aporte de capital feito recentemente pelo IFC, divisão do Banco Mundial para a iniciativa privada, foi apenas a primeira cena na reestruturação societária do Banco Triângulo (Tribanco). Braço financeiro do grupo atacadista Martins, a instituição prepara seu IPO. A abertura de capital está prevista para 2012. Até lá, o acionista controlador, o empresário Alair Martins, e o próprio IFC deverão fazer um novo aporte de capital para aumentar a musculatura do Tribanco e aumentar sua atratividade para a oferta de ações. Segundo uma fonte da área de varejo muito ligada a Alair Martins, a intenção do grupo é oferecer até 25% do banco em Bolsa. Responsável pelas operações de crédito do Grupo Martins, o Tribanco tem apresentado um crescimento razoável nos últimos anos. Seu volume de ativos, próximo dos R$ 2 bilhões, subiu mais de 30% em 2010. Também no ano passado, a carteira de crédito bateu a marca de R$ 1 bilhão. Não obstante ter um porte relativamente modesto se comparado aos seus congêneres, o Tribanco tem uma mina de ouro a  sua mão. Trata-se da rede Smart, uma espécie de cooperativa que reúne mais de mil supermercados, além de um site de comércio eletrônico. Com o IPO, o banco ganhará fôlego para financiar a venda desta miríade de pequenas e médias redes varejistas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.03.11
ED. 4114

Paraná Banco

Dono do Paraná Banco, de seguradora, construtora e outros tantos negócios, o empresário Joel Malucelli está investindo agora na importação e venda de tratores chineses.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.03.11
ED. 4114

Informe – RR

Em razão dos festejos de Carnaval, o RR – Negócios & Finanças voltará a circular apenas na próxima quinta-feira, dia 10 de março.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.