Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
01.02.16
ED. 5299

Custo marginal

 Além do custo direto, cobrado na “fonte”, os desvios de conduta dos ex-diretores da Petrobras já sugaram cerca de R$ 420 milhões do caixa da estatal. Este é o valor que foi gasto pela companhia em um ano e meio para investigar denúncias de fraudes e remodelar a estrutura de compliance. O maior dos contratos, com o escritório Trench, Rossi e Watanabe, no valor de R$ 106 milhões, vence em março.  Por falar em compliance, já passa de 30 o número de funcionários da BR Distribuidora que são alvo de investigações internas por suspeitas de corrupção. O trabalho é conduzido diretamente pelo presidente interino da estatal, Carlos Alberto Tessarolo. Procurada, a BR não informou o número de investigados, mas confirmou que estão em “curso comissões internas de apuração”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.03.15
ED. 5087

Primeira ducha de água fria da gestão Aldemir Bendine

 Primeira ducha de água fria da gestão Aldemir Bendine. Diferentemente do que estava previsto, a Petrobras não vai divulgar suas demonstrações financeiras amanhã, durante a reunião do Conselho de Administração. Os escritórios Trench, Rossi & Watanabe e Gibson, Dunn & Crutcher não concluíram a tempo o processo de auditoria nas contas da estatal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.