fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
22.02.18

O “poste” de Eduardo Cunha

O PMDB do Rio já está catequisando a candidatura de Daniela Dytz da Cunha à Câmara junto à comunidade evangélica, o reduto eleitoral de seu pai, Eduardo Cunha. O partido dá como líquido e certo que a herdeira terá algo entre 70 mil e 100 mil votos. Nada mau para uma debutante. Para efeito de comparação, o ex-deputado foi eleito com 230 mil votos em 2014.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30.01.18

Troca de identidade

A moda pegou. Depois do PMDB, que ressuscitou o velho MDB, agora é o PP que quer mudar seu nome de batismo. Maculado pela Lava Jato, já entrou com o pedido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para adotar o Progressistas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

08.01.18

A aflição de Marco Polo

Aflito com o seu futuro, o presidente afastado da CBF, Marco Polo Del Nero, tem se valido do deputado Darcísio Perondi (PMDB) para buscar guarida no Palácio do Planalto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.12.17

Os predadores de sempre

A previsão de um fundo eleitoral com R$ 1,7 bilhão em recursos públicos já causa uma guerra interna nos grandes partidos. Na semana passada, a cúpula do PMDB se reuniu em Brasília para discutir as regras de divisão dos recursos entre os candidatos do partido. Nada foi decidido. Pelo contrário: o encontro terminou em bate-boca e o presidente da sigla, o senador Romero Jucá, saiu irritado da reunião.
_______________________________________________________________

No PSDB, com as novas regras internas, o presidente do partido, Geraldo Alckmin, perdeu o poder que seu antecessor, Aécio Neves, tinha sobre o destino dos recursos do fundo eleitoral. Alckmin só poderá decidir sobre a distribuição de 40% da fatia que caberá ao PSDB. O restante terá de ser votado na Executiva do partido.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

07.12.17

O síndico sumiu

O PMDB do Rio está praticamente acéfalo desde a prisão de Jorge Picciani. Até o momento, Marco Antônio Cabral, filho de Sérgio Cabral e presidente interino da sigla no estado, não convocou qualquer reunião do diretório e mal aparece na sede do partido.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.12.17

Um bom vice?

Paulo Hartung tem um encontro com Gilberto Kassab programado para esta semana, em São Paulo. Na conversa, poderá selar sua transferência do PMDB para o PSD, de Kassab. E de Henrique Meirelles. Hartung, é bom lembrar, chegou a ser cotado para vice do ex-pré-candidato Luciano Huck.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.11.17

Arrastão

Gilberto Kassab anda irritado com o assédio a deputados do PSD. As investidas mais agudas vêm do PMDB, que tem sido bastante agressivo na cooptação de parlamentares de outras siglas de olho no aumento da cota do fundo partidário em 2018.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

24.11.17

Capitania hereditária

José Sarney só pensa naquilo: retomar o governo do Maranhão. Articula uma grande aliança em torno da candidatura de Roseana Sarney, que teria, além do PMDB, o PSDB e o DEM.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.11.17

Senador Justus

Roberto Justus, que chegou a lançar sua pré-pré-candidatura à Presidência, é assediado por PMDB e DEM para concorrer ao Senado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.11.17

O esporte preferido do PMDB

Na esteira da prisão de Carlos Arthur Nuzman, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) poderá sofrer mais um duro golpe. O PMDB – não por acaso partido do ministro dos Esportes, Leonardo Picciani – articula no Congresso a votação de um projeto de lei para retirar do COB o poder de gestão dos recursos da Lei Piva. A ideia – voilá – é que o próprio Ministério dos Esportes assuma a distribuição das verbas oriundas das loterias federais para as confederações nacionais. A olho nu, não dá nem para entender por que tanto empenho de Picciani e do PMDB: para 2018, os repasses da Lei Piva não deverão chegar nem a R$ 100 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.