Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos

 A Queiroz Galvão Exploração e Produção (QGEP) costura a entrada da Statoil no Campo de Atlanta. No melhor dos mundos, os noruegueses comprariam toda a participação da encalacrada OGPar, dona de 40% do consórcio. Operadora do campo, a QGEP tem 30% do negócio. Os outros 30% pertencem à Barra Energia. • As seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: QGEP, OGPar e Statoil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.12.15
ED. 5260

A dívida da OGPar

 O presidente da OGPar , Paulo Narcelio, abriu uma nova rodada de negociações com a Redwood Capital Management e a Rimrock Capital, dois dos mais intransigentes bondholders da antiga OGX. Sua missão é convencer o grupo de credores encabeçado pelas duas gestoras norte-americanas a abrir mão da cobrança de US$ 70 milhões referente ao aluguel de um FPSO – unidade de produção e armazenamento de petróleo. Narcelio chega à mesa de negociações com um discurso radical: o pagamento da dívida no curto prazo coloca em risco a própria continuidade da OGPar. A seguinte empresa não retornou ou não comentou o assunto: OGPar

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

21.10.15
ED. 5231

Área limpa

 Devido aos problemas financeiros da OGPar, a Queiroz Galvão e a Barra Energia estariam negociando com a sócia a compra dos 40% que tem no campo de Atlanta, na Bacia de Santos. O acerto é importante para destravar investimentos no campo, que começará a produzir em 2016. Consultada, a OGPar disse que a informação não procede.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.