fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
02.02.22

Ferrogrão na mira

O Mubadala fez chegar ao ministro Tarcísio Freitas a informação de que vai disputar os leilões de concessão rodoviária programados pelo governo. O alvo primordial seria a Ferrogrão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.12.21

Herdeiro natural

A Invepar reabriu conversações com o Mubadala para a venda de parte ou mesmo de toda a sua participação no aeroporto de Guarulhos. O fundo árabe é uma espécie de “Invepar II”: já assumiu a concessão do Metrô Rio e deverá ficar também com a Linha Amarela, caso a Prefeitura do Rio aprove a transferência.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

23.09.21

Refinaria 2

O Mubadala deverá investir aproximadamente US$ 100 milhões na modernização da refinaria Landulpho Alves (RLAM), comprada da Petrobras por US$ 1,65 bilhões. Há tempos que a RLAM não recebe um “banho de loja”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.09.21

Nos trilhos e nos céus

O Mubadala estaria em conversações com a Invepar para a compra da concessão do Aeroporto de Guarulhos. Os valores sobre a mesa giram em torno de R$ 1,2 bilhão. O fundo árabe, ressalte-se, já assumiu as operações do Metrô Rio e da Linha Amarela, que também pertenciam à Invepar. Consultadas, Mubadala e Invepar não se manifestaram.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

12.08.21

Mubadala ao mar

O Mubadala tem interesse em participar dos leilões de concessões portuárias previstos para 2022, notadamente do Porto de Santos. Ressalte-se que o fundo árabe já tem negócios no setor no Brasil: é um dos acionistas do Porto do Sudeste,  participação herdada em troca de dívidas da MMX, de Eike Batista.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.08.21

Mubadala não poupa energia no Brasil

O Mubadala estaria em conversações para uma possível associação com a Casa dos Ventos. A empresa é dona de um dos maiores portfólios de energia eólica e solar do país. Somando-se usinas em operação e projetos em desenvolvimento, a deverá chegar a 15 GW de capacidade instalada até 2023 – praticamente uma “Itaipu dos Ventos”, como a própria companhia costuma se definir. O Mubadala pretende montar um colar de ativos em energia limpa no Brasil. O fundo árabe teria reservado cerca de R$ 3 bilhões para novos investimentos no país. O pontapé inicial foi a compra de 13 PCHs da Renova Energia, anunciada na semana passada. A julgar pela velocidade de arrancada, o Brasil deverá ter um posição de destaque no mapa de negócios da Masdar. Também conhecida como Abu Dhabi Future Energy Company, trata-se do veículo de investimentos do Mubadala em energia renovável. A empresa já tem negócios em 30 países.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.07.21

Sob o mesmo teto

A empresa de entretenimento IMM, pertencente ao fundo Mubadala, e a T4F, controlada por Fernando Alterio, estariam conversando sobre uma possível fusão. O negócio daria origem ao maior grupo de eventos artísticos e esportivos e de gestão de casas de espetáculos do país.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.02.21

Continua de pé?

A conturbada sucessão na Petrobras tira o sono dos executivos do Mubadala. A compra da refinaria Landulpho Alves, por US$ 1,65 bilhão, está fechada. Mas, não assinada. Consultada, a Petrobras limitou-se a confirmar a oferta do Mubadala.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

18.02.21

Salada internacional

Além da norte-americana Diatoms, o Mubadala mantém conversações com investidores chineses interessados em se associar à refinaria Landulpho Alves (RLAM). Os árabes fecharam a compra da RLAM junto à Petrobras na semana passada – conforme o RR antecipou em 29 de janeiro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.01.21

Último ato

A Petrobras vai sacramentar em fevereiro a venda da refinaria Landulpho Alves, na Bahia, para o fundo Mubadala. Os valores giram em torno de US$ 2 bilhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.