Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
13.06.17
ED. 5639

O mutismo de José Carlos Bumlai

O mutismo de José Carlos Bumlai está com os dias contados. A família o pressiona a quebrar o voto de silêncio, em resposta à delação de Antonio Palocci, que promete atingir em cheio o “amigo de Lula”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

09.06.17
ED. 5637

Assim é se lhe parece

A JBS, que atribui a suspensão de um empréstimo da CEF a “represálias políticas”, não está sozinha. Mauricio e Fernando Bumlai, filhos do pecuarista José Carlos Bumlai e donos da Usina São Fernando, estão convictos de que o veto do BB e do BNDES ao plano de recuperação judicial da empresa passou ao largo de critérios técnicos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

mst-rr-5591
03.04.17
ED. 5591

Lava Jato, dívidas e, agora, os sem-terra no caminho dos Bumlai

O calvário dos Bumlai parece não ter fim. A usina São Fernando, de propriedade da família, tem sido alvos de invasões de sem-terra. No mês passado, em um entrevero com policiais, os manifestantes chegaram a ameaçar incendiar as instalações da companhia sucroalcooleira. Comandada pelos filhos de José Carlos Bumlai, Maurício e Guilherme, a São Fernando vive grave crise financeira. Com uma dívida estimada em mais de R$ 1,5 bilhão, teria demitido cerca de 600 trabalhadores no período de um ano.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.03.16
ED. 5332

Delatar ou não delatar?

Mesmo com o relaxamento da prisão de José Carlos Bumlai por questões de saúde, seus familiares insistem para que o pecuarista feche um acordo de delação premiada. O maior temor dos parentes é que seu filho mais velho, Mauricio Bumlai, seja inapelavelmente arrastado para a Lava Jato. Mais de metade dos bens do empresário está também no nome do primogênito. Com os números que têm nas mãos, os procuradores federais podem fazer um estrago. Segundo as investigações, o patrimônio de José Carlos Bumlai saiu de R$ 3,8 milhões em 2004 para R$ 270 milhões em 2012, sem que houvesse a comprovação de renda suficiente para justificar o aumento no período.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.11.15
ED. 5247

Boi da cara preta

Guilherme Bumlai, filho de José Carlos Bumlai, afastou-se da Nelore MS, entidade que reúne os grandes pecuaristas do Mato Grosso do Sul e que ele próprio comandou em 2010. Talvez tenha apenas atendido à recomendação do pai de evitar qualquer exposição; talvez já não se considere um grande pecuarista – nos últimos dois anos, os Bumlai venderam mais de dois terços de seu rebanho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.10.15
ED. 5237

Bumlai se veste de Nero e taca fogo por onde passa

  No sentido figurado, já se sabe que José Carlos Bumlai, o amigo de Lula, é um personagem “incendiário”. No entanto, para um grupo de produtores de cana de açúcar do Mato Grosso do Sul, o adjetivo também pode ser aplicado sem as aspas. Agricultores da região de Dourados estão se unindo para acionar o empresário na Justiça. A Usina São Fernando, controlada por Bumlai, é acusada de ter provocado deliberadamente o incêndio ocorrido em julho de 2013 que devastou mais de 22 mil hectares de plantações de cana no município, nas proximidades da BR-463 e da MS-279. A área em questão equivale a 3% de todos os canaviais do estado. A queimada é considerada a maior da história da cidade.  Agricultores da região cobram do grupo sucroalcooleiro uma indenização pelos prejuízos. Tomando-se como base a área atingida e o preço da matéria-prima à época, as perdas são calculadas em mais de R$ 50 milhões – diga-se de passagem, um copo de caldo de cana se comparadas à dívida total da São Fernando, estimada em aproximadamente R$ 1,2 bilhão. Segundo proprietários de terras da região, a Usina São Fernando, à época já em crise financeira, teria ateado fogo em seus próprios canaviais por não ter recursos em caixa para moer a matéria-prima. As chamas, no entanto, alastraram-se por fazendas de terceiros. A Polícia Civil abriu um inquérito criminal para investigar o caso. As autoridades ambientais foram mais rápidas no gatilho: o Instituto de Meio Ambiente de Dourados (Imam) multou a Usina São Fernando em R$ 490 mil.  Consultada pelo RR, a São Fernando informa que desconhece qualquer pedido de indenização. A empresa diz que, segundo “informações preliminares da Polícia Ambiental”, o incêndio “teria se originado em uma trilha de motocross, o que, confirmado, isentará a usina de responsabilidade”. A São Fernando nega também que tenha recebido uma multa do Imam e diz que não reconhece o “referido instituto como órgão fiscalizador ambiental”. A companhia afirma ainda que José Carlos Bumlai não é acionista da Usina São Fernando, ao contrário do que dizem toda a mídia e empresários do setor ouvidos pelo RR. Segundo a empresa, o controle pertence aos quatro filhos de Bumlai.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.