Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
30.11.17
ED. 5756

Reviravolta na Caixa

A diretoria da Caixa Econômica pretende sacramentar em até 90 dias a renovação da parceria com a CNP Assurances. Pelo novo acordo, a Caixa Seguradora, controlada pelo grupo francês, estenderá até 2041 a exclusividade no uso do balcão da CEF. Na edição de 17 de agosto, o RR antecipou a retomada das negociações entre a Caixa e a CNP após sérias divergências, que, inclusive, quase levaram à ruptura do contrato em vigor.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.08.17
ED. 5685

Caixa e CNP reabrem conversações

A CNP Assurances voltou a bater na porta da Caixa Econômica Federal (CEF). Em pauta, a renovação do contrato que dá à Caixa Seguradora exclusividade no uso do balcão do banco – o acordo atual vence em 2021. A parceria é considerada primordial pela CNP. Por esta razão, segundo o RR apurou, os franceses já sinalizaram que concordam pagar algo em torno de R$ 10 bilhões.

É o valor que a CEF pede para manter sua “monogamia” comercial e vender apenas apólices da Caixa Seguradora, que preservou o nome, mas hoje é uma controlada da CNP – os franceses detêm 51,7% do capital; a Caixa segue com 47,2%. Na prática, é como se Caixa e CNP tivessem voltado no tempo, mais precisamente a meados de 2015. Na ocasião, os franceses aceitaram desembolsar os R$ 10 bilhões para garantir a prorrogação do contrato por 20 anos. Na hora H, no entanto, não houve acordo quanto à forma e aos prazos de pagamento.

Neste ano, houve uma nesga de tratativa e disso não passou. A Caixa logo encerrou as conversas assim que a CNP apareceu com um número de R$ 6 bilhões. O banco federal deixou claro que ganharia muito mais dinheiro se encerrasse o acordo, fatiasse seu balcão e tivesse um parceiro para cada segmento da área de seguros.

A pressão parece ter dado certo. Procurada pelo RR, a Caixa informou que “as negociações com a CNP Assurances têm caráter estritamente confidencial e divulgará novos fatos relevantes sempre que cabível.” O banco lembrou que, em 20 de junho desde ano, encerrou o período de “negociação exclusiva com a companhia francesa”. Em tese, significa que a Caixa está aberta a propostas de forasteiros. É justamente os que os franceses estão tentando evitar.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.03.17
ED. 5575

Prudential e Chubb avançam sobre participação do BTG

O frustrado acordo com a francesa CNP Assurances é página virada. O BTG Pactual já teria retomado as negociações para a venda da sua participação de 51% na Pan Seguros e na Pan Corretora. Segundo o RR apurou, o banco estaria em conversações com as norte-americanas Prudential e Chubb, que recentemente se uniu à suíça Ace. A operação gira em torno dos R$ 700 milhões.

O BTG já teria também acertado os ponteiros com a sócia Caixa Econômica, dona dos 49% restantes nas duas instituições. Os dois bancos deverão vender conjuntamente suas ações na seguradora e na corretora. Procurados, BTG e Prudential negaram as negociações. Já a Chubb não quis comentar o assunto.

A exigência de tag along feita pela Caixa Econômica teria inviabilizado o acerto entre o BTG Pactual e a CNP Assurances, que se recusou a comprar os 49% do banco estatal na Pan Seguros e na Pan Corretora. Neste caso, tudo leva a crer que o BTG pagou o preço pela conturbada relação entre os franceses e a própria Caixa. A CNP é controladora da Caixa Seguridade, com 51,75% do capital.

Desde o ano passado, tenta antecipar a renovação do contrato que lhe dá exclusividade na venda de seguros nas agências da CEF – o atual vence em 2021. Consta que a Caixa Econômica pediu mais do que os R$ 10 bilhões oferecidos pelos franceses para a renovação do contrato, R$ 2 bilhões a mais do que o valor do acordo em vigor. O banco estatal teria exigido ainda o pagamento antecipado de metade da cifra. A CNP discordou das condições impostas pela Caixa e interrompeu as tratativas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.